Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

14 DE JANEIRO DE 2013

Publicado: Terça, 15 de Janeiro de 2013, 09h11 | Última atualização em Quinta, 20 de Dezembro de 2018, 21h24 | Acessos: 227

Clipagem ASCOM
Recife, 14 de janeiro de 2013

 

:: Jornal Do Commercio

Não houve noticias sobre há Fundaj.

 

:: Folha De Pernambuco

Não houve noticias sobre há Fundaj.

 

:: Diário de Pernambuco

Política

Quadro de Fernando Lyra ainda é grave e permanece estável

O ex-ministro da justiça Fernando Lyra, 74 anos, segue internado no instituto do coração (incor), em São Paulo. O quadro do irmão do vice governador João Lyra Neto, continua inalterado. Segundo a assessoria de João, o quadro permanece grave, porém, instável. Com isso, Fernando segue na UTI em observação.
No fim do ano, Fernando Lyra apresentou uma infecção urinária que "descompensou" seu problema de insuficiência cardíaca. Lyra está sob os cuidados do médico cardiologista Luciano Baracioli. De acordo com assessores do vice-governador, o ex-ministro apresenta momentos de lucidez embora permaneça inconsciente a maior parte do tempo. De acordo com os médicos, a retenção de líquido sobrecarrega o coração fazendo com que o batimento fique desregular afetando também o sistema respiratório. Lyra segue respirando sem o auxílio de aparelhos e segue sem previsão de sair da UTI. Enquanto isso, os médicos seguem trabalhando para amenizar a retenção de líquido para assim, normalizar o batimento e a capacidade respiratória de Lyra. Fernando Lyra foi deputado federal pelo antigo MDB, partido que fazia oposição ao regime militar no Brasil. Foi ministro da Justiça de José Sarney e, em 2003, foi nomeado presidente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), deixando o cargo em 2011.

 

Viver

Filme O Som ao Redor já foi assistido por mais de 30 mil espectadores

Filme pernambucano estreou em sete capitais e chega a mais três cidades esta semana

Duas semanas após entrar em cartaz no Brasil, o filme pernambucano O Som ao Redor já foi assistido por mais de 30 mil espectadores. Na imprensa nacional, o longa-metragem de Kleber Mendonça Filho foi elogiado por jornalistas e artistas como Millôr Fernandes, Paulo Henrique Amorim, Arnaldo Jabor, Zeca Camargo, Inácio Araújo e Rogério Skylab, entre outros.
Os números indicam que o filme é um sucesso de público por causa de média de espectadores por sessão e da ampliação na quantidade de salas onde está em exibição. Normalmente, mesmo em lançamentos de Hollywood, o número de salas é reduzido após a semana de estreia, mas O Som ao Redor despertou tanto interesse e teve tantas sessões lotadas que os exibidores precisaram ampliar a oferta.
No Recife, por exemplo, o filme entrou em dois cinemas na primeira semana (Fundação e RioMar) e depois foi acrescentado a mais um (Shopping Recife). No Espaço Itaú Botafogo do Rio de Janeiro, estreou em uma sala na primeira semana e na segunda foi transferido para outra maior, com mais poltronas.
No fim de semana de estreia, O Som ao Redor alcançou uma média de 840 pessoas por sala (número superior ao alcançado por De Pernas Pro Ar 2). Na primeira semana, o filme estreou em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. No segundo fim de semana, entrou em cartaz também em Belo Horizonte, Curitiba, Maceió e Salvador. Porto Alegre, Florianópolis e Brasília são as próximas cidades, que já promoveram pré-estréias com ingressos esgotados. Antes de chegar ao Brasil, o filme foi lançado nos Estados Unidos. O lançamento na Europa também já está confirmado.
O filme pernambucano que teve maior público até hoje foi Cinema, Aspirina e Urubus, com aproximadamente 150 mil espectadores no total.

 

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.