Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Transposição do Rio São Francisco > A situação “Hidro-ilógica” da Transposição do São Francisco – 08/05/2020
Início do conteúdo da página

A situação “Hidro-ilógica” da Transposição do São Francisco – 08/05/2020

Publicado: Terça, 23 de Fevereiro de 2021, 14h07 | Última atualização em Terça, 23 de Fevereiro de 2021, 14h07 | Acessos: 125


Eixo Norte da Transposição - Imagem do Google

Estamos iniciando uma atividade semanal de informação, aos interessados, da real situação operacional dos eixos Norte e Leste do projeto da Transposição do Rio São Francisco. Esses eixos encontram-se atualmente em manutenção e, portanto, estão com suas funções paralisadas. Após vultosos investimentos realizados na obra, cuja cifra já ultrapassa a casa dos R$12 bilhões, as águas do Velho Chico não estão chegando ao seu destino final, tanto na vertente norte do projeto, para o atendimento dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, quanto na vertente Leste, para o abastecimento de Pernambuco e do município de Campina Grande, na Paraíba. Posteriormente, o governo da Paraíba aprovou ações para ampliação de outros usos das águas do São Francisco, no eixo Leste do projeto, para fins do agronegócio, com vistas ao atendimento do empreendimento Acauã-Araçagi (esse projeto custou R$ 1 bilhão de reais aos cofres públicos paraibanos), cujo objetivo principal é a irrigação de 16 mil hectares de cultivos na região brejeira do estado, além de abastecer vários municípios no percurso das águas nesse eixo. Um problema de grandes proporções criado, tendo em vista a ausência quase que total de gestão hídrica, em praticamente toda região semiárida do país, cujas consequências são previsíveis, principalmente levando-se em consideração o lamentável estado de inoperância que persiste no projeto da Transposição, cujo objetivo principal é o abastecimento de 12 milhões de pessoas na região setentrional, a irrigação de uma área estimada em cerca de 150 mil ha, além de proporcionar a garantia hídrica das populações, na tentativa de mudanças no cenário de pobreza da região semiárida.

Algumas características técnicas do Projeto da Transposição:

Características das represas reguladoras de vazão do Rio São Francisco

- A construção das represas de Três Marias e Sobradinho na calha do Rio São Francisco, possibilitou, às autoridades do setor hídrico do país, o total controle volumétrico de vazões do Velho Chico, ao longo de toda a bacia hidrográfica do rio.

Capacidade total de Três Marias: 20 bilhões de m³Fonte: ANA

Afluência: 398m³/s

Defluência: 645 m³/s

Percentual volumétrico atual da represa: 97,08%

Capacidade total de Sobradinho: 34 bilhões de m³ - Fonte: ANA

Afluência: 1.530 m³/s

Defluência: 1.412 m³/s

Percentual volumétrico atual da represa: 92,87%

Características técnicas dos eixos do Projeto

- Irão passar pelos dois eixos do projeto, uma vazão de até 127 m³/s, sendo 99 m³/s no Norte e 28 m³/s no Leste.


Eixo Norte - Fonte: Chesf


- Extensão de 402 km

- Serão atendidos os estados de PE, CE, PB e RN

- Existência de 12 reservatórios de diversos tamanhos, com potencial de armazenamento de cerca de 56 milhões de m³.

- Perspectiva de atendimento a 232 municípios nos estados, e uma população estimada em cerca de 7,5 milhões de pessoas.

- Vazão do Rio São Francisco na tomada d´água em Cabrobó (Estação de Ibó): 1.697 m³/s

Vazão de bombeamento em Cabrobó para o eixo Norte: 0 m³/s (atualmente paralisado)

Situação atual das obras nesse Eixo: em 03/02/2020 reportagem deu conta de que existem obstáculos de percurso, entre a barragem de Negreiros e o reservatório de Milagres, necessitando de reparos, razão pela qual estão havendo atrasos nas obras, não se sabendo, ao certo, quando serão retomadas. Em matéria do Diário do Nordeste de 26/04/2020, as autoridades estimam em um período superior a 45 dias, para a conclusão desses trabalhos.

Eixo Leste - Fonte: Chesf

- Extensão de 220 km

- Serão atendidos os estados de PE e PB

- Existência de 16 reservatórios de diversos tamanhos, com potencial de armazenamento de cerca de 910 milhões de m³.

- Perspectiva de atendimento a 169 municípios nos estados, e uma população estimada em cerca de 4,5 milhões de pessoas.

Reservatório da hidrelétrica de Itaparica


Capacidade total do reservatório: 11 bilhões de m³

Afluência: 1.400 m³/s

Defluência: 1.278m³/s

Percentual volumétrico atual da represa: 43,03%

Notícias de 11/03/2020 deram conta de que esse eixo encontra-se paralisado devido à necessidade de reparos em sua estrutura.

Vazão de bombeamento da represa de Itaparica para o Eixo Leste: 7 m³/s, atualmente - 0 m³/s (paralisado, em manutenção)

Em 2018, a adutora de Moxotó (PE) começou a operar abastecendo os municípios pernambucanos de SertâniaArcoverdePesqueiraBrejo da Madre de DeusBelo JardimAlagoinhaTacaimbó, São Bento do Una, Sanharó e Custódia, cuja captação é na mesma fonte que abastece Campina Grande, ou seja, o Eixo Leste da Transposição.

A adutora do Agreste, em fase de construção, irá aduzir volumes do Rio São Francisco, via eixo Leste do projeto da Transposição, para o abastecimento de municípios pernambucanos localizados na bacia do Rio Ipojuca - 0 m³/s (atualmente paralisado)

Capacidade do açude de Poções (30 milhões de m³, Monteiro), destino dos volumes da transposição para o açude de Camalaú – 101,04% (atualmente em sangria)

Capacidade do açude de Camalaú (48 milhões de m³, Camalaú), destino dos volumes da transposição para o açude de Boqueirão de Cabaceiras – 100,35% (atualmente em sangria)

O destino final da água desse eixo é o açude de Boqueirão de Cabaceiras, para o abastecimento de Campina Grande e 18 municípios de seu entorno.

Boqueirão de Cabaceiras - Fonte: Aesa

Capacidade do reservatório: 411,6 milhões de m³

Volume morto do reservatório: 8,20%

Percentual volumétrico útil atual: 62,32%

Vazão afluente do projeto da Transposição do São Francisco em Boqueirão: 0 m³/s

Vazão de regularização de Boqueirão de Cabaceiras – 1,25 m³/s

Defluência de Boqueirão para Acauã: 2,0 m³/syyg

Reservatório de Acauã - Fonte: Aesa

Capacidade do reservatório: 253 milhões de m³

Volume morto do reservatório: 8,00%

Percentual volumétrico útil atual: 5,31%

Vazão afluente em Acauã: 2,0 m³/s

Vazão defluente para o projeto Acauã-Araçagi: 0 m³/s

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.