Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Revitalização de Bacias > A situação “Hidro-ilógica” da Transposição do São Francisco – 20/03/2020
Início do conteúdo da página

A situação “Hidro-ilógica” da Transposição do São Francisco – 20/03/2020

Publicado: Segunda, 27 de Julho de 2020, 17h23 | Última atualização em Segunda, 27 de Julho de 2020, 17h23 | Acessos: 159

Resultado de imagem para Eixo Norte da Transposição

Eixo Norte da Transposição - Imagem do Google

As represas de Três Marias e Sobradinho regularizam os volumes do Rio São Francisco ao longo de toda sua bacia hidrográfica.


Estamos iniciando uma atividade semanal de informação, aos interessados, da real situação em que se encontram os Eixos Norte e Eixo Leste do projeto da Transposição do Rio São Francisco. O Eixo Leste, que é iniciado na represa de Itaparica (Chesf) e finalizado na represa de Boqueirão de Cabaceiras (PB), para o abastecimento de Campina Grande, passa por graves problemas de gestão hídrica. Mesmo após vultosos investimentos realizados na obra, cuja cifra já ultrapassa a casa dos R$12 bilhões, as águas do Velho Chico não têm chegado à represa de Cabaceiras para o abastecimento que fora programado. Posteriormente, o governo da Paraíba aprovou ações para ampliação de outros usos das águas desse canal, para fins do agronegócio, através do projeto Acauã-Araçagi (esse projeto custou R$ 1 bilhão de reais aos cofres públicos paraibanos), para a irrigação de 16 mil hectares de cana de açúcar na região brejeira do estado. Um problema de grandes proporções criado, tendo em vista a ausência quase que total de gestão hídrica em praticamente toda região semiárida do país, cujas consequências são visíveis, principalmente com o lamentável estado de inoperância existente na Transposição, cujo objetivo principal é o abastecimento de Campina Grande e 18 municípios localizados em seu entorno.

 

- Recursos financeiros aplicados até o momento no projeto: R$ 12 bilhões

- O projeto da Transposição irá retirar dos Eixos Norte (99 m³/s) e Leste (28 m³/s) totalizando 127 m³/s

 

 

- Capacidade total de Três Marias: 20 bilhões de m³ - Fonte: ANA


Afluência: 1.372 m³/s

Defluência: 680 m³/s

Percentual volumétrico atual da represa: 96,76 %

 

- Capacidade total de Sobradinho: 34 bilhões de m³ - Fonte: ANA


Afluência: 4.300 m³/s

Defluência: 822 m³/s

Percentual volumétrico atual da represa: 60,35%

 


- Eixo Norte - 
Fonte: Chesf


Vazão do Rio São Francisco na tomada d´água em Cabrobó (Estação de Ibó): 952 m³/s

Vazão de bombeamento em Cabrobó: atualmente paralisado

Situação atual das obras nesse Eixo: em 03/02/2020 reportagem deu conta de que existem obstáculos no percurso das águas entre a barragem de Negreiros e o reservatório de Milagres, razão pela qual estão havendo atrasos nas obras, não se sabendo ao certo quando serão concluídas.

 

- Eixo Leste

 

Reservatório de Itaparica - Fonte: Chesf


Capacidade total do reservatório: 11 bilhões de m³

Afluência: 750 m³/s

Defluência: 820 m³/s

Percentual volumétrico atual da represa: 37,14%

Vazão de bombeamento da represa de Itaparica para o Eixo Leste: 7 m³/s

Em 2017 a adutora de Moxotó (PE) começou a operar, bombeando água para o abastecimento dos municípios pernambucanos de SertâniaArcoverdePesqueiraBrejo da Madre de DeusBelo JardimAlagoinhaTacaimbó, São Bento do Una, Sanharó e Custódia, cuja captação é na mesma fonte que abastece Campina Grande, ou seja, o Eixo Leste da Transposição.

O destino final da água desse eixo é o açude de Boqueirão de Cabaceiras, para o abastecimento de Campina Grande e 18 municípios de seu entorno.

 

Boqueirão de Cabaceiras - Fonte: Aesa


Capacidade do reservatório: 411,6 milhões de m³

Volume morto do reservatório: 8,20%

Percentual volumétrico útil atual: 45,24%

Vazão afluente do projeto São Francisco em Boqueirão: 0 m³/s

Defluência de Boqueirão para Acauã: 300 l/s

 

Reservatório de Acauã - Fonte: Aesa 


Capacidade do reservatório: 253 milhões de m³

Volume morto do reservatório: 8,00%

Percentual volumétrico útil atual: 0,39%

Vazão afluente em Acauã: 300 l/s

Vazão defluente para o projeto Acauã-Araçagi: 0 m³/s

Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.