Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Fundaj e Sudene assinam termo de cooperação
Início do conteúdo da página

Fundaj e Sudene assinam termo de cooperação

Publicado: Segunda, 11 de Fevereiro de 2019, 16h50 | Última atualização em Quarta, 13 de Fevereiro de 2019, 12h06 | Acessos: 358
 Documento estabelecendo parceria em prol da Região Nordeste será firmado até maio e deverá ter apoio do BNB

Um termo de cooperação que será assinado até maio entre a Fundação Joaquim Nabuco, instituição ligada ao Ministério do Educação (MEC) e a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, órgão do Ministério do Desenvolvimento Regional, estabelecerá políticas para a Região Nordeste. Um terceiro parceiro deverá ser o Banco do Nordeste, entidade do Ministério da Economia, que será contatado pelas partes já envolvidas.

Os primeiros passos para o acordo foram discutidos nesta segunda-feira (11) em reunião na sala do Conselho Deliberativo da Fundaj, campus Casa Forte. “Espera-se que com esse acordo a gente possa expandir a ação do MEC, levando educação de qualidade e a possibilidade que, de acordo com as necessidades regionais, se possa alcançar resultados de interesse”, explicou o assessor especial do MEC, Robson Silva, destacando que fará, de imediato, a ponte entre os ministérios.
 
Segundo ele, tudo que é feito pelo Brasil, é feito pelo Nordeste, respeitando a particularidade da região, a exemplo da gestão da água. Robson Silva ressaltou, ainda, a capilaridade das universidades estaduais, que trabalhando em conjunto com as universidades federais podem potencializar os benefícios à população.
Para o presidente da Fundaj, Alfredo Bertini , a meta da parceria é transformar a realidade nordestina. “Esses três órgãos têm como contribuir de forma decisiva para esse processo. A Fundaj entra com pesquisa, formação, capacitação, avaliação das políticas e treinamento dos gestores”, explicou.

Bertini pretende restaurar o diálogo com a Sudene e alinhar a Fundação, nos setores de pesquisa e inovação, tendo a questão hídrica como um dos principais pilares. Enquanto a Fundaj investe em pesquisa, a Sudene entra na formatação da política para o desenvolvimento regional.

Atualmente, o órgão trabalha com um sistema de mapeamento interno para determinar tecnologias, tanto de ponta quanto sociais, que auxiliem na distribuição de água para moradores da Zona Rural. “É inevitável não entrar no assunto da seca no nordeste. Essa parceria é fundamental e junta instituições muito fortes com atuação histórica na região, que estão tentando se reinventar dentro de um novo contexto,” disse o coordenador geral de Estudos, Pesquisas, Avaliação, Tecnologia e Inovação da Sudene, Ademir Vilaça.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página