Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Pesquisa “O olhar estudantil sobre a ética e a corrupção” é tema de debate da Fundaj
Início do conteúdo da página

Pesquisa “O olhar estudantil sobre a ética e a corrupção” é tema de debate da Fundaj

Publicado: Quarta, 26 de Mai de 2021, 11h20 | Última atualização em Quarta, 26 de Mai de 2021, 11h20 | Acessos: 83

Live ocorre no dia 10 de junho, às 10h, no canal da Fundação Joaquim Nabuco no YouTube

 

A pesquisa “O olhar estudantil sobre a ética e a corrupção” é o mote da live que será transmitida ao vivo no canal da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), no dia 10 de junho, às 10h. No encontro virtual, algumas das descobertas obtidas relacionadas aos estudantes, que foram o alvo principal do estudo, como a estrutura familiar, o relacionamento com os pais e os professores, a conectividade e o nível de confiança nas fontes de informação entrarão em debate.

Participarão da discussão a pesquisadora da Fundaj responsável por coordenar a pesquisa, Maria do Socorro Pedrosa de Araújo, do Centro de Estudos em Dinâmicas Sociais e Territoriais (Cedist), da Diretoria de Pesquisas Sociais (Dipes); o professor do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) — campus Afogados da Ingazeira, no Sertão de Pernambuco —, Cedric Ayres; o diretor da Dipes, Luís Henrique Romani; e o coordenador do Cedist, Neison Freire.

A pesquisa foi feita com estudantes do ensino médio de escolas públicas e privadas do Recife. Seu principal objetivo foi averiguar como esses jovens enxergam o país sob o ponto de vista da ética e da corrupção. "Os resultados da pesquisa são de interesse dos profissionais da educação, mas também das pessoas que estão empenhadas em melhorar o futuro do nosso país”, destaca Maria do Socorro.

“O resultado da investigação sobre a visão que se tem em relação ao país, do ponto de vista da ética, mostra que, independentemente da categoria de escola e do período cursado, o Brasil precisa melhorar muito, mas só a gente pode contribuir para essa evolução. Quem sabe a pesquisa sirva de encorajamento para os que ainda vêem a educação como a grande ferramenta de mudança”, acrescenta Maria Socorro.

Atualmente professor do IFPE, Cedric Ayres fez parte da equipe de pesquisa juntamente com Maria Socorro. Na ocasião, atuava como mestre de filosofia prática pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mediador do debate, ele fará uma apresentação das entrevistas realizadas com o corpo docente de escolas públicas e privadas da Capital pernambucana.

“Iremos pontuar como o ambiente escolar aborda o tema da ética e da corrupção, como os professores enxergaram esta problemática enquanto parte da cultura brasileira e qual é ou deveria ser o papel da educação formal na abordagem da temática. Além de quais esperanças podemos ter e o que poderíamos fazer para que o ambiente escolar possa contribuir para formar um futuro mais ético”, ressalta Cedric.

A pesquisa, inclusive, foi bastante elogiada na reunião do Conselho Diretor (Condir) da Fundação Joaquim Nabuco. “Além de apresentar os resultados detalhados, a live irá aprofundar o tema a partir do debate com os participantes diretos da pesquisa. Esse espaço é importante para pesquisadores, estudantes e profissionais da educação de uma maneira geral”, finaliza Neison Freire, que também é pesquisador da Fundaj.

Serviço

Live: O olhar estudantil sobre a ética e a corrupção

Data: 10 de junho de 2021

Horário: 10h

Transmissão: canal da Fundaj no YouTube

Participantes:

Maria do Socorro Pedrosa de Araújo (pesquisadora da Fundaj);

Cedric Ayres (professor do Instituto Federal de Pernambuco – IFPE);

Luís Henrique Romani (diretor de Pesquisas Sociais da Fundaj - Dipes);

Neison Freire (coordenador do Centro de Estudos em Dinâmicas Sociais e Territoriais - Cedist)

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.