Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > DIPES > Pesquisas e Atividades
Início do conteúdo da página

Pesquisas e Atividades

Publicado: Terça, 15 de Setembro de 2020, 15h39 | Última atualização em Terça, 15 de Setembro de 2020, 15h39 | Acessos: 626

Pesquisa:
Ensinando e Aprendendo com as Mulheres Pescadoras.

Responsável pelo projeto/atividade:
Lígia Albuquerque de Melo
Lattes

Equipe envolvida no projeto/atividade:
Izaura Rufino Fischer; Rebeca Allana Albuquerque (estagiária)

Breve descrição:
A luz das informações produzidas pela pesquisa: A pesca artesanal no rio São Francisco condições ambientais e de trabalho das mulheres pescadoras, propõe-se a realização de um mini-curso visando refletir sobre a trajetória dessas mulheres na cadeia produtiva da pesca destacando-se o papel das vertentes endógenas e exógenas que alimentam a exploração da categoria feminina, sobretudo, aquelas referentes às vertentes de classe e gênero.
Na realização do mini-curso prevê-se a aplicação de métodos que auxiliem no desenvolvimento da metodologia dialógica de ensino aprendizado criado pelo cientista Paulo Freire. Trata-se de método presente em diferentes situações: no diálogo entre educador e educando, entre educando e educador, sempre em busca de um humanismo nas relações entre homens e mulheres (FREIRE, 1987:81). O mini-curso a ser realizado em locais pesquisados e previamente selecionados será ministrado pelas pesquisadoras proponentes e direcionado a mulheres pescadoras, representantes de colônias e associação de pescadores, gestores municipais, professores de escolas públicas e Ongs que trabalham a questão da mulher pescadora. Cada curso com duração de 16h contará com um público em torno de 20 pessoas. Os presentes assumirão o compromisso de disseminar o curso como seus pares. Nos mini-cursos serão trabalhadas as temáticas: participação das mulheres na cadeia produtiva da pesca; a exploração/dominação vivenciada pelas mulheres pescadoras; imbricação entre trabalho doméstico e conservação ambiental.

Objetivos:
Geral: Levar as pescadoras artesanais a compreenderem as armadilhas que fundamentam o nível de exploração a que são submetidas cotidianamente nos espaços público e privado.
Específicos: - Discutir sobre a invisibilidade das mulheres pescadoras na cadeia produtiva da pesca artesanal; - Explicitar os mecanismos da dominação/exploração perpassados nas tarefas executadas pelas mulheres na pesca, ancorados aos parâmetros de classe e gênero; - Enfocar a extensão do trabalho doméstico no campo da conservação ambiental nos contextos estudados.

Justificativa:
Ao abrir espaços para ampliar a compreensão das mulheres pescadoras sobre as interfaces da invisibilidade do seu trabalho; a dominação/exploração a que são submetidas e a imbricação do trabalho doméstico com as questões ambientais esses cursos serão incontestavelmente relevantes no campo da pesca artesanal. É uma ferramenta que contribui não só para a recuperação da qualidade de vida dessas mulheres, mas a pobreza que alimenta o mundo da pesca artesanal e, se faz mais presente sobretudo entre as mulheres pescadoras que praticamente “pagam para trabalhar”. Isto, sem computar a labuta doméstica que permanece sobre sua inteira responsabilidade.

Público-alvo:
Mulheres pescadoras, representantes de colônias e associação de pescadores, gestores municipais, professores de escolas públicas, Ongs que trabalham a questão da mulher pescadora.

Abrangência:

Regional.

Metas para 2020:
- Realização de Curso na região Médio e Submédio São Francisco.
- Realização de Curso na região do Baixo São Francisco.
- Realização de Curso na região do Alto São Francisco.

registrado em:
Fim do conteúdo da página

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência de navegação no portal. Ao utilizar o fundaj.gov.br, você concorda com a política de monitoramento de cookies. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de privacidade. Se você concorda, clique em ACEITO.