Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Fundaj está com inscrições abertas para o curso Procedimentos da Justiça Restaurativa
Início do conteúdo da página

Fundaj está com inscrições abertas para o curso Procedimentos da Justiça Restaurativa

Publicado: Sexta, 24 de Julho de 2020, 19h27 | Última atualização em Sexta, 24 de Julho de 2020, 19h27 | Acessos: 227

Capacitação é segundo módulo da especialização em Justiça Restaurativa

A prática da Justiça Restaurativa é uma técnica de solução de conflitos que tem se difundido no país. Levando em conta os bons frutos gerados pelo exercício desse ensino, a Fundação Joaquim Nabuco lança o curso “Procedimentos da Justiça Restaurativa”. Quem quiser se inscrever nele precisa ter concluído o curso de Introdução a Justiça Restaurativa, ministrado pela Fundaj ou por outra instituição. De maneira híbrida, a capacitação será realizada pela plataforma Google Meets e pela Moodle EAD. Ao todo, ela terá 26 horas de duração, as quais serão executadas nos dias 4, 6, 11, 13, 18 e 20 de agosto. O pós-doutor em Bioética, doutor em Filosofia e mestre em Antropologia Filosófica, Marcelo Pelizzoli, comandará as aulas.

“A capacitação se insere na temática de inovação em políticas públicas, ao promover uma cultura de paz, sobretudo, no ambiente escolar. Esse curso é o segundo módulo de uma formação continuada composta por quatro partes. Por causa de sua alta demanda, já oferecemos três turmas do primeiro módulo no ano passado, e ainda lançaremos novas edições em um futuro próximo”, destacou o diretor de Formação Profissional e Inovação (Difor) da Fundaj, Wagner Maciel.

A especialização em Justiça Restaurativa nasceu de um Acordo de Cooperação Técnica entre Fundaj e Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A demanda surgiu e o curso já é ofertado pela Escola de Inovação e Políticas Públicas (EIPP) da Fundaj desde 2017. “Já conseguimos observar bons resultados nas escolas onde os professores que finalizaram os quatro módulos do curso trabalham. Uma das conquistas é a redução do índice de violência”, pontuou Wagner. Essa capacitação também já foi realizada presencialmente fora do Recife, como na Zona da Mata, Agreste e Sertão do estado.

Nas aulas desse segundo módulo, os alunos aprenderão como são aplicadas as práticas restaurativas e a cultura desse universo. Também estudarão sobre comunicação não violenta, no que diz respeito aos seus componentes e a escuta empática. Além disso, a grade também conta com o ensino dos Círculos Restaurativos na Prática e os de Construção de Paz.

“A Justiça Restaurativa pode ser utilizada no âmbito judiciário, comunitário, familiar, ambiental e, principalmente, educacional e escolar. Essa prática empodera as pessoas para lidarem melhor com conflitos, acolhendo pessoas e buscando responder aos malfeitos, ferimentos e obrigações geradas pelos atos humanos”, afirmou o professor Marcelo Pelizzoli.

Marcelo Pelizzoli foi o professor escolhido para ministrar a capacitação. Ele é graduado em Filosofia, especializado em Ciência Política, tem mestrado em Antropologia Filosófica, doutorado em Filosofia, e pós-doutorado em Bioética. Possui ainda formação internacional em Terapia Sistêmica Familiar, em Orgonomia (Reich), em CNV com M. Rosenberg, e em Círculos de Diálogo com Kay Pranis. Atualmente, é professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), nas áreas de Ética prática, Saúde Coletiva (PICS) e Direitos Humanos. Também coordena o Núcleo de Justiça Restaurativa de Pernambuco. E é membro do Grupo de Ciência e Cultura de Paz, da Comissão de Direitos Humanos Dom Helder Câmara.

Serviço:

Procedimentos da Justiça Restaurativa

Professor: Marcelo Pelizzoli (pós-doutor em Bioética, doutor em Filosofia e mestre em Antropologia Filosófica).
Dias e horários: 4, 6, 11 e 13 de agosto, das 9h às 12h, e 18 e 20 de agosto, das 8h às 12h.
Inscrições: https://bit.ly/39s7zsH
Plataformas: Google Meets (duração de 20h) e Moodle EAD (duração de 6h)
Pré-requisitos: ter feito o módulo I ou ser aluno da Especialização em e para os Direitos Humanos, Educação de Justiça Restaurativa da EIPP.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página