Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Editora Massangana lança Coleção Travessia
Início do conteúdo da página

Editora Massangana lança Coleção Travessia

Publicado: Terça, 07 de Julho de 2020, 11h39 | Última atualização em Terça, 07 de Julho de 2020, 16h58 | Acessos: 276

Livros para crianças e professores/as serão apresentados virtualmente no canal da Fundação Joaquim Nabuco no YouTube, no dia 10 de julho, das 15h às 18h

A Editora Massangana da Fundação Joaquim Nabuco dá continuidade aos lançamentos virtual dos livros com a apresentação da Coleção Travessia “Para se ensinar a ler o mundo em prol de uma cultura de paz”, na próxima sexta-feira (10), das 15h às 18h, no canal da Fundaj no YouTube. O encontro online terá a participação das autoras Joana Cavalcanti e Luana Freire e do autor Sandro Cozza Sayão, além da moderação do ilustrador das obras Maurizio Manzo.

“Fiz ilustrações diferentes para cada obra com o objetivo de personificá-las. Criei também uma identidade visual com imagens e cores para coleção, que costura e liga todos os volumes. Durante o processo, o apoio da editora foi excelente. Depois desse trabalho tão grande, o novo desafio é fazer a mediação com os autores”, declara Maurizio Manzo.

Com a abordagem dos direitos humanos por meio da ficção, a coleção conta com os seguintes títulos: “Tudo tem Cor”, de Sandro Cozza Sayão; “Olha o Mundo!”, de Luana Freire; e “Os Sapatos de Amarati”, de Joana Cavalcanti. Foi criada para que crianças e professores/as que têm como berço a língua portuguesa, sobretudo em Cabo Verde e no Brasil, possam transformar as suas vidas e seus contextos a partir da leitura, da reflexão crítica, construindo ‘mundos no mundo’ por meio da solidariedade, da empatia e do respeito ao outro.

O livro “Os Sapatos de Amarati” trata sobre a exclusão social. “Toda a história se desenvolve a partir da condição social de Mariquinha, mas também da superação pelo amor e pela capacidade de fazer da voz um instrumento de poder. Gostaria que qualquer leitor encontrasse em Mariquinha a força para a mudança. Que ela seja a denúncia para qualquer tipo de exclusão e violência”, afirma Joana Cavalcanti.

Já a obra “Tudo tem Cor” tem como mote a pluralidade. “Ela trata da diversidade, mostrando o nosso mundo colorido, recheado de cores. Trago também uma reflexão de como seria monótono o mundo se tudo fosse igual. A maravilha da vida é a pluralidade. Com cores diferentes, a diversidade é construída e forma aquilo que chamo de humano”, destaca Sandro Cozza Sayão.

As histórias do livro “Olha o Mundo!” trazem uma mensagem sobre diferença e aceitação. “Acredito profundamente que as crianças são capazes de entender os pensamentos da obra. No fundo é uma maneira de falar com os mais novos sobre muitas realidades, trazendo leveza para assuntos que, muitas vezes, os adultos encaram de forma controversa, como cor, gênero, liberdade, medo, tristeza, aceitação, autoestima”, ressalta Luana Freire.

Outros lançamentos
Os demais lançamentos estão agendados para os dias 17, 24 e 31 deste mês. Dia 17 será divulgada a Coleção Cinemateca Pernambucana, a partir de dois títulos: A brodagem no cinema pernambucano, de Amanda Mansur, e Verouvindo: audiodescrição e o som do cinema, de Liliana Tavares. “A coleção surge para difundir ainda mais o cinema produzido em Pernambuco, reunindo obras com abordagens históricas, técnicas e estéticas consideradas essenciais para o campo audiovisual. Além da questão da acessibilidade, que buscamos alcançar plenamente no Cinema da Fundação por meio do Projeto Alumiar”, ressalta Ana Farache, coordenadora do Cinema da Fundação e da Cinemateca Pernambucana.

No dia 24, Roberto Beltrão e Rúbia Lóssio apresentarão o Almanaque Pernambucano dos Causos, Mal-assombro e Lorotas. Encerrando esse ciclo de lançamentos, no dia 31, Alexandrina Sobreira, pesquisadora da Fundação Joaquim e editora da revista Ciência & Trópico, lançará o número 43 desse periódico.

Serviço:
Lançamento da Coleção Travessia

Plataforma: Transmissão no canal da Fundação Joaquim Nabuco no YouTube

Data: 10 de julho de 2020

Horário: das 15h às 18h

15h: “Os Sapatos de Amarati”, de Joana Cavalcanti (com mediação de Maurizio Manzo)
16h: “Tudo tem Cor”, de Sandro Cozza Sayão (com mediação de Maurizio Manzo)
17h: “Olha o Mundo!”, de Luana Freire (com mediação de Maurizio Manzo)

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página