Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > São João na Rede da Fundaj alcança 2,5 mil pessoas
Início do conteúdo da página

São João na Rede da Fundaj alcança 2,5 mil pessoas

Publicado: Quarta, 24 de Junho de 2020, 23h29 | Última atualização em Quarta, 24 de Junho de 2020, 23h29 | Acessos: 74

Edição inédita do festejo apostou em programação educativa, espetáculo e show de Cristina Amaral

Ao longo de seis horas de transmissão online, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) apresentou, nesta quarta-feira (24), entre as 15h e as 21h, uma programação repleta de atividades educativas para a celebração de uma das principais datas do festejo junino. Em uma ação integrada, o São João na Rede da Fundaj, produzido pela Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), da Instituição pernambucana, uniu oficinas de arte e gastronomia e exibição de curtas-metragens ao formato adaptado do espetáculo Bandeira de São João, dos criadores do Baile do Menino Deus, e show especial da pernambucana Cristina Amaral. A live contou com a apresentação do ator Adriano Cabral e a participação de 2,5 mil pessoas.

O São João digital destacou a diversidade do festejo que pela primeira vez não ganha as ruas, em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). No início da programação, o escritor e presidente da Fundaj, Antônio Campos, recordou o xilogravurista J. Borges, homenageado da edição. “Estamos abrindo o São João em um momento desafiador. Para celebrar o homenageado, adquirimos 18 obras para o Museu do Homem do Nordeste. Viva os criadores que compõem o Nordeste do Brasil. Acenda a fogueira do seu coração, a chama da esperança, que essa crise passará”, disse.

Atenta a todos os públicos, a programação contou com oficinas para as crianças e os adultos garantirem o melhor das quermesses em casa. Em sua participação, a Adriany Gouveia, do Recrearte, ensinou como produzir bandeirolas e outros elementos para uma decoração acessível. A arte-educadora lembrou, também, algumas das brincadeiras tradicionais, como a corrida de saco e a pescaria. Na sequência, o chef César Santos, do premiado restaurante olindense Oficina do Sabor, ensinou o passo-a-passo de uma pamonha de forno. Super prática, bastam espigas de milho, leite de coco, queijo manteiga, açúcar, sal e água para garantir a iguaria. Ao longo da preparação, ele compartilhou diversas dicas para a cozinha.

Em uma iniciativa inédita, a live levou ao ar um aulão sobre Antropologia, a ciência do homem cultural. A antropóloga e museóloga do Muhne, Ciema Mello, dividiu o momento com o cantor e compositor Bruno Lins, da banda Fim de Feira, que resgatou canções do repertório nordestino, e o apresentador Adriano Cabral, que interpretou personagens pagãos da Europa. “O São João começou muito longe daqui, lá pelo Círculo Ártico e foi migrando até chegar em nós. Fazer o que nós fazemos aqui, é repetir isto”, apontou a museóloga.

Integrante da Trilogia das Festas Juninas, o espetáculo Bandeira de São João foi adaptado ao formato digital. A montagem trouxe histórias que compõem o universo junino, do apadrinhamento em torno da fogueira e rituais pagãos até a celebração do orixá Xangô, sincretizado como São João dos Carneirinhos. Um dos escritores da obra, o dramaturgo Ronaldo Correia de Brito apresentou uma aula-espetáculo. A montagem contou com a participação do cantor Carlos Filho, da banda Estesia. A Cinemateca Pernambucana exibiu nove filmes, dentre eles a animação Salu e o Cavalo Marinho, de Cecilia da Fonte, e o documentário Sertão de Acrílico Azul, parceria de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz.

Um dos momentos mais aguardados, a cantora sertaniense Cristina Amaral encerrou a programação com muito forró. Marca registrada, iniciou com Eu sou o forró, de seu debut Arisca (1991). Cantou Cidade Grande, composição de Petrúcio Amorim sobre as mudanças e surpresas daqueles que deixam os interiores para uma nova vida nas metrópoles. Integraram ainda o setlist as famosas Anjo Querubim, Onde está você, Olha pro céu, Flor do Mamulengo, atuais como Ai menina e inúmeras outras. “Muito lindo, Fundaj! Nós, caruaruenses, agradecemos este momento tão especial de músicas da alma, interpretadas pela rainha Cristina, nesse momento tão difícil. Esta live é um alento para nossos corações”, escreveu a internauta Mariana Maciel.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página