Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Fundaj norteia educação infantil no "novo normal"
Início do conteúdo da página

Fundaj norteia educação infantil no "novo normal"

Publicado: Terça, 23 de Junho de 2020, 16h41 | Última atualização em Terça, 23 de Junho de 2020, 16h41 | Acessos: 1046

Grupo de Pesquisa da Fundaj debateu temática e produziu material para orientar atividades pedagógicas de gestores, professores, pais e alunos da primeira infância

Uma educação de qualidade nos primeiros anos de vida é de extrema importância para o desenvolvimento de cada indivíduo. Pensando na situação atual dos que participam dessa prática pedagógica, o Grupo de Pesquisa Infância e Educação na Contemporaneidade: estudos interdisciplinares (GPIEDUC) desenvolveu um material para auxiliar as atividades dessa área, durante a pandemia da Covid-19. A redação é resultado das discussões do Ciclo de Debates “A ‘Nova Normalidade’ e a Educação Infantil”, promovido pelo GPIEDUC para o público interno, no último mês de maio.

“Esse conteúdo contém um apanhado geral de orientações para gestores municipais e estaduais, e também para os pais de estudantes da educação infantil. O material é muito rico e segue diretrizes da legislação para a primeira infância”, destacou o diretor da Diretoria de Pesquisas Sociais (Dipes) da Fundaj, Luis Henrique Romani.

Os debates que deram origem ao conteúdo produzido foram realizados em três sessões remotas, com a participação de estudiosos da Educação Infantil, gestoras e professoras, participantes do grupo de pesquisa. As discussões foram sistematizadas em um documento formatado em PDF, juntamente com as sugestões de formas de enfrentamento da situação para serem analisadas pelas comunidades escolares.

“Nossa intenção foi oferecer às redes de ensino e instituições de Educação Infantil um material para o debate e a construção de possibilidades de atuação e retorno à "nova normalidade', afirmou a coordenadora do Gpieduc, Patrícia Simões.

Numa concepção que se distancia da visão conteudista de Educação Infantil, o material é organizado em cinco tópicos. No primeiro é sugerido que sejam convocados profissionais da área da psicologia e assistência social para o apoio emocional e trato das dificuldades de professores, alunos e familiares. Já no segundo tópico, foi sugerida a criação de um conselho formado por representantes da comunidade escolar, pais e crianças que também possam opinar. Isso para planejar as atividades.

Na terceira parte, coloca-se a importância da inclusão digital por meio de oferta de cursos de curta duração para profissionais da educação. Além disso, são indicados recursos digitais para dar suporte ao aprendizado móvel, como a criação de um canal no YouTube, salas de aula virtuais e plataformas de chamadas de vídeo. Na parte seguinte, ao orientar atividades em família, o conteúdo sugere vivências de brincadeiras, partindo da intencionalidade pedagógica. Para fortalecer também as experiências relacionais dentro do contexto familiar, são sugeridas oficinas de arte, jogos teatrais, contação de histórias, confecção de instrumentos musicais e jogos populares.
Para finalizar, são apresentadas publicações científicas elaboradas por outras instituições e pesquisadores comprometidos com a operacionalização da EducaçãoIinfantil. As pesquisas selecionadas também podem fornecer uma ótima contribuição para o desenvolvimento das novas demandas.

Para acessar o material, é só clicar aqui.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página