Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Em parceria com a Fundaj, FNDE publica primeira revista científica
Início do conteúdo da página

Em parceria com a Fundaj, FNDE publica primeira revista científica

Publicado: Segunda, 22 de Junho de 2020, 18h10 | Última atualização em Segunda, 22 de Junho de 2020, 18h10 | Acessos: 57

Produção contou com a pesquisadora da Instituição Cátia Lubambo, no comitê editorial, e revisão de Solange Carvalho

O investimento na educação pública brasileira passa também pela reflexão a respeito dos meios, plataformas e atores empregados no ensino básico do País. Por isso, avaliar as ações desenvolvidas ao longo dos anos é um dos compromissos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Após 50 anos de existência, a autarquia lança sua primeira revista científica, em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Com o tema “Gestão do Conhecimento em Políticas Públicas”, o número de estreia conta com três artigos e pode ser conferido na íntegra no link https://bit.ly/2CoY5SA

O projeto integra um conjunto de ações previstas no Acordo de Cooperação Técnica Internacional firmado, em 2018, entre o Ministério da Educação (MEC) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (Unesco). Dentre os membros do comitê editorial da Série Científica, a pesquisadora da Fundaj Cátia Wanderley Lubambo celebra o resultado dos trabalhos iniciados em setembro de 2019. “Decidimos sobre o formato e participamos da avaliação e seleção dos artigos que comporiam o primeiro volume. São materiais que devem servir de subsídio para a formulação e implementação de políticas públicas”, destaca.

Na perspectiva de fazer um levantamento, a edição apresenta os resultados das ações de gestão do conhecimento e pesquisas de avaliação dos programas desenvolvidos pelo próprio FNDE. Os textos científicos contemplam desde reflexões acerca do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) até o impacto das políticas educacionais no crescimento econômico do País. Não menos importante, o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e os cardápios das creches atendidas também entraram em pauta.

A organização é das sociólogas Cinara Lobo, especialista em Financiamento e Execução de Programa e Projetos Educacionais no FNDE, e Júlia Ximenes, consultora individual da Unesco. Assinam os textos publicados Angelo do Nascimento Nogueira, Elizete Gonzaga, Mário D'Ávila, Solange Fernandes de Freitas Castro e Vanessa Manfre Garcia de Souza. A edição conta, ainda, com a revisão linguística final de Solange Carvalho, servidora da Fundação Joaquim Nabuco responsável pela revisão de revistas como Ciência & Trópico e Cad de Estudos Sociais, títulos originais da Instituição.

O economista e gestor da Diretoria de Pesquisas Sociais (Dipes), da Fundaj, Luís Henrique Romani, lembra a importância da atuação integrada entre os órgãos. “O Ministério da Educação pensa políticas que serão executadas pelo FNDE. A Fundação, enquanto órgão de pesquisa, pode ajudar ambos a avaliar se as políticas implementadas estão dando o resultado esperado. São atuações complementares”, explica o diretor. Outras parcerias, ainda em negociação, devem ser divulgadas no futuro. No último ano, um protocolo de intenções foi selado entre ambas entidades para o aprimoramento das ações educacionais no Nordeste.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página