Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Fundaj recebe pesquisadora da Universidade Columbia para Intercâmbio Educacional
Início do conteúdo da página

Fundaj recebe pesquisadora da Universidade Columbia para Intercâmbio Educacional

Publicado: Quarta, 05 de Fevereiro de 2020, 09h37 | Última atualização em Quarta, 05 de Fevereiro de 2020, 09h37 | Acessos: 206

Por meio de acordo de cooperação com a Cátedra Fulbright, Fundação Joaquim Nabuco, receberá a antropóloga americana, Janice Perlman, para realizar trabalho sobre duas comunidades pernambucanas

As comunidades de Pontezinha e Ponte dos Carvalhos (no Cabo de Santo Agostinho) serão objetos de estudo em uma pesquisa social que a Universidade Columbia fará em parceria com a Fundaj. Como parte do acordo de cooperação entre a Escola de Inovação e Políticas Públicas (EIPP) da Fundação Joaquim Nabuco e Cátedra Fulbright, a universidade, localizada em Nova Iorque, enviará sua pesquisadora, Janice Perlman, para realizar uma pesquisa de campo na cidade, de 6 de março a 4 de maio. O acordo, feito pelas duas instituições em 2017, traz em uma de suas cláusulas o compromisso da Cátedra em enviar professores universitários dos EUA para a Fundaj. O objetivo da iniciativa é promover pesquisas, seminários e palestras, por um período total de quatro meses, juntamente com a Fundaj. Perlman é pesquisadora sênior da Columbia University e autora do livro “Favela”, obra que conta histórias sobre alguns moradores de comunidades do Rio de Janeiro.

“A vinda da Dra. Janice Perlman, por meio da Cátedra Fulbright, reitera o compromisso da Fundaj com a cooperação internacional, amplia a inserção dos nossos pesquisadores no debate internacional sobre políticas públicas e assegura o caráter inovador da EIPP. É uma grande oportunidade para trocarmos experiências e aproveitarmos ao máximo a presença desta renomada pesquisadora”, afirmou a coordenadora geral de Cooperação e de Estudos de Inovação da Difor da Fundaj, Maria Luíza Cruz.

Depois de algumas reuniões, a antropóloga e socióloga, Janice Perlman, foi escolhida pela Fundação para a atividade. Levando em consideração suas experiências e conhecimentos sobre as comunidades que serão alvos de sua investigação, ela escolheu o tema de seu trabalho. "Transformação há mais de 50 anos: estudo de caso Pontezinha e Ponte dos Carvalhos de aldeias de pescadores de subsistência a parte de um próspero município do Metrô Recife" é o título da pesquisa. “Analisamos vários candidatos e escolhemos Janice por sua capacidade de pesquisa. A área em que ela está envolvida tem a ver com o perfil de pesquisas sociais da Fundaj. E, em relação a pesquisa, é relevante o fato dela ter conhecido pessoalmente as comunidades em 1965”, afirmou a pesquisadora da Fundaj, Alexandrina Sobreira.

No que diz respeito a atuação da Fundaj, o acordo assegura que a instituição deve apoiar todo o trabalho feito pela pesquisadora estrangeira. Durante os dois meses de pesquisa de campo, Janice estará trabalhando com os pesquisadores da Diretoria de Pesquisas Sociais (Dipes) e também, ministrará um minicurso por meio da Diretoria de Formação Profissional e Inovação (Difor). O conteúdo do curso e a data serão definidos depois de sua chegada. Em maio, quando voltar para os Estados Unidos, Janice redigirá a parte escrita de sua pesquisa, e em setembro retorna à Recife para publicar o artigo. Juntando as duas estadias na cidade, passará quatro meses, como prevê o acordo.

Na pesquisa, serão investigadas questões como a melhoria das condições de vida e acesso a serviços sociais pelas comunidades de baixa renda avaliadas. Visando investigar as políticas públicas aplicadas nas comunidades, o processo se dará por meio de entrevistas e reunião de dados qualitativos O objetivo da pesquisa é entender melhor como a expansão urbana afeta as pessoas. As antigas atividades de pesca de subsistência em Pontezinha e Ponte dos Carvalhos, no município do Cabo de Santo Agostinho, incorporado a metrópole do Recife, compõem o estudo de caso.

Sobre o acordo

Firmado em setembro de 2017, o acordo de cooperação se trata de um canal de diálogo, cooperação, intercâmbio cultural e científico com a Cátedra Fullbright. Na prática, permite que anualmente a Fundaj, por meio da EIPP, receba professores universitários dos EUA, com excelência reconhecida. Isso para que, ao longo de quatro meses, eles atuem no Recife como pesquisadores da instituição. Com duração de cinco anos, a parceria pode ser renovada por outros cinco.

Sobre a Cátedra Fulbright

Desde 1957, a Cátedra Fulbright oferece bolsas de estudos para estudantes de pós-graduação, professores e pesquisadores que queiram fazer a diferença em suas comunidades. Ao longo de seis décadas, enviou mais de 3.500 brasileiros aos EUA e trouxe mais de 2.900 norte-americanos para intercâmbios no Brasil.

A Fulbright é um órgão vinculado ao Departamento de Estado dos Estados Unidos, presente em mais de 155 países, que conta em sua história com pesquisadores vencedores de 57 Prêmios Nobel, 82 Pulitzer, além de ter participação na formação de 33 presidentes ou primeiros-ministros. Seu objetivo principal é promover e divulgar os estudos americanos que envolvem os Estados Unidos na sua relação com as Américas em geral. Mais especificamente com o Brasil. Tais estudos podem privilegiar quer uma dimensão de conjunto, quer aspectos particularizados dos temas comuns.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página