Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Troça Turma da Jaqueira Segurando o Talo chega à 36ª edição com blocos líricos, orquestras, maracatus rurais e bandas
Início do conteúdo da página

Troça Turma da Jaqueira Segurando o Talo chega à 36ª edição com blocos líricos, orquestras, maracatus rurais e bandas

Publicado: Quarta, 08 de Janeiro de 2020, 17h21 | Última atualização em Quinta, 09 de Janeiro de 2020, 13h18 | Acessos: 211

Considerada pelos foliões como o "Galo da Zona Norte do Recife", troça carnavalesca está marcada para o dia 15 de fevereiro, tradicionalmente uma semana antes do sábado de carnaval 

Em 1984, os motoristas da Fundação Joaquim Nabuco criaram um bloco em homenagem ao advogado Manoel Cavalcanti de Albuquerque Sá Neto, candidato à presidência da Associação dos Empregados da instituição que foi vencido pelo engenheiro Geraldo Antônio nas eleições de 1983. Com o insucesso de Manoelzinho nas urnas, o grupo de motoristas fundou a troça carnavalesca mista “A Turma da Jaqueira Segurando o Talo”, que chega a sua 36ª edição no ano de 2020, marcada para o dia 15 de fevereiro, uma semana antes do Sábado de Zé Pereira.

"O sonho de Manoel (Cavalcanti), que tinha o cargo de diretor de Serviços Gerais da Fundaj, era ser presidente da Associação de Empregados. Como forma de manifestação e ao mesmo tempo com o intuito de animar o pessoal que ficou triste com a derrota na eleição, os motoristas criaram o bloco. Inclusive, não existia agremiação na Zona Norte do Recife. Ela surgiu com o objetivo de propiciar entretenimento nos bairros de Casa Forte, Poço da Panela, Monteiro e Apipucos", lembrou Edson Bezerra da Silva, presidente da troça desde 2003.

Este ano, “A Turma da Jaqueira” homenageará o líder comunitário Walber Santos e a ex-dirigente da Diretoria Executiva de Controle Urbano do Recife (Dircon) Olímpia Falcão. A concentração será no campus Casa Forte da Fundaj, a partir das 10h, com saída prevista para as 12h, e contará a participação de três blocos líricos - Eu Quero Mais; Confetes e Serpentinas; Cordas e Retalhos -, três orquestras - Aurora Frevo Orquestra (Timbaúba); Evoé (Recife); Arrecifes Frevo Orquestra (Recife) - e dois maracatus rurais - Piaba de Ouro (mestre Salustiano, da cidade de Tabaraja) e Cruzeiro do Forte (mais antigo do Recife, criado em 7 de setembro de 1929).

Nas ruas, os foliões também serão animados por seis trios elétricos que contarão com as  bandas Parangolé; Marreta e o Planeta; Beleza Pura, Camelô; Eduardo Moreno/A Farra das Poderosas; Marquinhos Balada. O percurso da troça está definido com o seguinte roteiro: Avenida Dezessete de Agosto (início); Rua Doutor Seixas, Rua Luiz Guimarães, Rua dos Arcos, volta pela Dezessete de Agosto e vai até a Rua de Apipucos (fim). 

Além dos blocos líricos, orquestras, maracatus rurais e bandas, o público ainda irá se divertir com os bonecos gigantes alusivos a Gilberto Freyre (sociólogo, antropólogo e escritor recifense), Nelson Ferreira (maestro pernambucano), Fernando Freire (ex-presidente e filho de Gilberto Freyre) e Manoel Cavanclati (fundador e presidente da troça, de 1984 a 2001). "Gilberto Freyre sempre gostou muito do bloco. De 1984 a 1986, ele recebeu a troça em sua casa e sempre era homenageado com uma jaca", relembrou Edson Bezerra. 

"A expectativa é que no fim do trajeto cerca de 150 foliões ainda estejam acompanhando o bloco.  Vale destacar que não há cordão de isolamento. A segurança vai contar com 230 policiais e 50 guardas, entre eles de trânsito e municipal", comentou Edson Bezerra. 

Consagrada pelos recifenses, principalmente pelos moradores dos bairros de Casa Forte, Poço da Panela, Monteiro e Apipucos, a troça carnavalesca mista “A Turma da Jaqueira Segurando o Talo” é considerada pelos foliões como o "Galo da Zona Norte do Recife". Na primeira edição, houve um desfile emblemático em um Jeep, que levou uma batucada e um estandarte de madeira. Na ocasião, cerca de cem pessoas estiveram na folia. 

Troça

Edgar Alves da Silva, Ivanildo Roberto da Silva, José Carlos Silva, Paulo Coutinho, Jucilo Coutinho e Clóvis França escolheram o nome "A Turma da Jaqueira Segurando o Talo" por conta de uma cena tradicional no campus Casa Forte da Fundaj, exatamente atrás do Museu do Homem do Nordeste (Muhne). Nesse local, os motoristas se reuniam corriqueiramente, nas horas de folga, embaixo de uma jaqueira. O hino da troça é um frevo-canção criado por Jucilo Coutinho e com a partitura de Sebastião Vila Nova. 

Nos primeiros anos de existência, o bloco concentrava-se na Barraca Nabuquinho, que ficava em frente à sede da Fundaj, e seguia em direção ao bairro de Apipucos, pela Avenida Dezessete de Agosto e Rua Dois Irmãos até a casa do escritor Gilberto Freyre, patrono da troça. 

Serviço

Local: campus Casa Forte/Fundaj - nº 2187

Data: 15 de fevereiro de 2020

Horário da concentração: a partir das 10h

Entrada: gratuita

Homenageados: Walber Santos (líder comunitário) e Olímpia Falcão (ex-dirigente da Dircon - Diretoria Executiva de Controle Urbano do Recife

Atrações: blocos líricos - Eu Quero Mais; Confetes e Serpentinas; Cordas e Retalhos; Orquestras - Aurora Frevo Orquestra (Timbaúba); Evoé (Recife); Arrecifes Frevo Orquestra (Recife); Maracatus rurais - Piaba de Ouro (mestre salustiano, da cidade Tabaraja) e Cruzeiro do Forte (mais antigo do Recife, criado em 7 de setembro de 1929); bandas Parangolé; Marreta e o Planeta; Beleza Pura, Camelô; Eduardo Moreno/A Farra das Poderosas; Marquinhos Balada. 

Trajeto: Avenida Dezessete de agosto (início); Rua Doutor Seixas, Rua Luiz Guimarães, Rua dos Arcos, volta pela Dezessete de agosto e vai até a Rua de Apipucos (fim)

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página