Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Seminário do Cidade na Palma da Mão discute relação dos habitantes do Recife com o Porto Digital
Início do conteúdo da página

Seminário do Cidade na Palma da Mão discute relação dos habitantes do Recife com o Porto Digital

Publicado: Quinta, 28 de Novembro de 2019, 10h30 | Última atualização em Quinta, 28 de Novembro de 2019, 10h48 | Acessos: 54

Promovido pelo Programa Institucional 3 da Fundação Joaquim Nabuco, encontro gratuito contou com a participação de ativistas recifenses, sendo realizado nesta quarta-feira (27), na sala João Cardoso Ayres, na Fundaj/Derby

Aberto ao público, o segundo seminário do projeto “Cidade na Palma da Mão”, realizado na noite desta quarta-feira (27), na sala João Cardoso Ayres, na Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj)/Derby, discutiu o tema “Ativação e Inovação”. O encontro promovido pelo Programa Institucional 3, “Educação Pela Cidade”, que é coordenado pelo arquiteto e pesquisador Cristiano Borba, contou com a participação de três recifenses: Caio Scheidegger, da Equipe Navegue, Arthur Braga, do Laboratório de Inovação Cidadã Ceça, ambos convidados, além do arquiteto Pedro Guedes (Sdecti/Prefeitura do Recife), mediador da conversa que durou duas horas.

“Tivemos a participação de ativistas locais que proporcionaram uma atmosfera de reflexão sobre questões emergentes do final desta década. O intuito do encontro foi sensibilizar o público presente sobre os temas propostos no seminário”, destacou o coordenador Cristiano Borba.

A relação dos habitantes do Recife com o Porto Digital foi colocada em debate pelos palestrantes, todos com formações distintas, mas com uma vivência em comum num dos principais parques tecnológicos de inovação do Brasil. “O que dá para executar dentro e fora do Porto Digital?” foi um dos pontos abordados na mesa de diálogos.

“É possível enxergar quem está do nosso lado por meio de um exercício de mapa de atores. Consigo ver os setores que são mais resistentes e identificar aliados no papel de contribuidor”, disse Caio Scheidegger, da Equipe Navegue. “Temos como ocupar espaços com trabalhos de inovação, que atuam no setor urbano e que trazem novos olhares sobre a relação entre tecnologia e cidade”, emendou Arthur Braga, do Laboratório de Inovação Cidadã Ceça.

Com o objetivo de abrir espaço para uma maior integração entre a Fundaj, os parceiros locais e a sociedade, o último encontro do ciclo de encerramento do Programa Institucional 3 da Fundação Joaquim Nabuco, projeto “Cidade na Palma da Mão”, está marcado para o dia 11 de dezembro, na sala João Cardoso Ayres, Fundaj/Derby.

O "Cidade na Palma da Mão" foi criado em 2016, junto ao Programa Institucional Educação Pela Cidade, que congrega vários projetos dentro do tema da cidadania, da educação cidadã e da participação.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página