Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Diabetes e câncer de próstata em pauta na Fundaj 
Início do conteúdo da página

Diabetes e câncer de próstata em pauta na Fundaj 

Publicado: Segunda, 25 de Novembro de 2019, 20h36 | Última atualização em Segunda, 25 de Novembro de 2019, 20h42 | Acessos: 117

Programação de Novembro Azul convidou profissionais de três especialidades para debater tratamento e prevenção com funcionários da Casa e público geral 

Nesta segunda feira (25), o Cinema da Fundação/Museu, na Fundaj/Casa Forte, recebeu a palestra “A cor mudou, mas os cuidados continuam”, integrando a programação da campanha Novembro Azul proposta pela Coordenação-Geral de Recursos Humanos da Fundação Joaquim Nabuco para funcionários e público interessado nos cuidados propostos pela campanha mundialmente levantada.

A palestra iniciou com um discurso do presidente da Fundaj, Antônio Campos, sobre a relevância da iniciativa que visa esclarecer dúvidas sobre prevenção, diagnóstico e tratamentos da diabetes e do câncer de próstata. “Essa é mais uma iniciativa de conscientização e valorização dos servidores da Fundação, e também aberto à sociedade com um tema de extrema relevância a todos”, discorreu. 

O primeiro discurso foi da endocrinologista Dra. Isabel Oliveira de Souza, que abordou quais fatores de risco podem aumentar a probabilidade da diabetes se manifestar. “A má alimentação rica em açúcares e alimentos ultra-processados que consumimos tanto atualmente, junto com uma maior facilidade e rapidez de se obter o diagnóstico, podem explicar o aumento em 60% dos casos de diabetes nos últimos dez anos”, alertou a médica.

Uma dinâmica foi proposta a público pelo representante do laboratório Servier e criador do projeto Bom Dia, Paulo Assumpção, também palestrante. A atividade propunha demonstrar as dificuldades e os sintomas que acometem  portadores de diabetes, devendo ser identificados e tratados com atenção. Alguns sinais na lista foram fadiga crônica, perda de sensibilidade ao toque e sede constante. 

A resistência na hora de buscar o diagnóstico e o estresse crônico também aumentam de forma decisiva os fatores de risco, tanto da diabetes quanto do câncer de próstata, como explicou a neuropsicóloga Ana Katarina Saraiva de Melo, que pontuou a palestra com observações sobre fatores psicossomáticos que contribuem com o aspecto físico de cada doença.

A oncologista Cristiana Tavares comentou sobre a grande incidência do câncer de próstata no país, que é o segundo câncer que mais acomete os homens brasileiros, ficando atrás apenas do câncer de pele: “Pesquisas mostram que e é seguro dizer que todo homem que chegar aos 100 anos vai ter alguma incidência na próstata, podendo ou não ser um tumor maligno” afirmou. 

Para encerrar o evento, o microfone foi aberto para que o público pudesse tirar dúvidas sobre as doenças em pauta. 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página