Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Muhne comemora Dia Nacional da Alfabetização
Início do conteúdo da página

Muhne comemora Dia Nacional da Alfabetização

Publicado: Quinta, 07 de Novembro de 2019, 14h52 | Última atualização em Quinta, 07 de Novembro de 2019, 15h02 | Acessos: 81

Museu do Homem do Nordeste realiza junto a escolas do Recife ações educativas de conscientização acerca do analfabetismo

Em busca de um país cada vez mais livre do analfabetismo, o Dia Nacional da Alfabetização é celebrado anualmente em 14 de novembro. O Educativo do Museu do Homem do Nordeste (Muhne) abraça a causa e promove uma série de atividades alusivas à data, destacando a importância de assegurar condições mais acessíveis de ensino e aprendizagem no País. Duas escolas, uma Camaragibe e uma de Casa Amarela, participarão do encontro no jardim do Muhne.

De 11 a 13 de novembro, o Educativo do Museu visitará as duas escolas para um primeiro contato com alunos e professores da rede de educação infantil. O material da ação do Dia Nacional da Alfabetização será produzido nos dias das visitas e, durante a atividade, a equipe do Muhne conversará com os professores para ouvir sobre como é feito o processo de alfabetização em cada local e de que forma o Muhne pode colaborar com esse desempenho. "É sair de nosso lugar de comodismo, em que apenas recebemos as turmas para visitas e ações no Museu", salientou a coordenadora do Educativo do Museu, Edna Silva.

A atividade com a criançada será dividida em cinco momentos: um concurso de poemas; a oficina de arte: Meu Mundo Alfabetizado, o concurso soletrando, um leilão de livros e uma visitação temática pelo Museu. "As ações ajudam a estimular a imaginação e a capacidade de abstração, interpretação e criatividade lúdica. Trabalham a linguagem oral e escrita, a pronúncia, além de ampliar o vocabulário e as formas de compreender a realidade ótica, desenvolvendo raciocínio lógico e interesse pela leitura", destacou a coordenadora do Educativo.

Durante a visitação ao Museu, os alunos deverão encontrar as peças que aprenderam durante o concurso soletrando. A cada palavra que forem acertando, apresentarão um poema referenciando um tema específico. Os acertos acumula um certo valor em pontos simbólicos, que serão posteriormente usados para o leilão dos livros, que conta com obras da Editora Massangana e com dez exemplares do Itinerário Musical do Nordeste, cedido pela Biblioteca Blanche Knopf.

"Vai ser um dia em que essas turmas vão desenvolver no Muhne atividades que começaram na escola a partir do processo de aproximação entre escola e Museu. Inicialmente, serão duas escolas, por que é um projeto grande que vamos tentar desdobrar”, explicou Edna. Os próximos passos do projeto deverão ser uma visita ao Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, onde Joaquim Nabuco passou sua primeira infância. Em seguida, uma sessão de cinema no Domingo dos Pequenos, alinhada a programação do Cinema da Fundação/Museu.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página