Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Editora Massangana lança "Conhecendo o Semiárido" volumes 1 e 2 no estande da Fundação Joaquim Nabuco na XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco
Início do conteúdo da página

Editora Massangana lança "Conhecendo o Semiárido" volumes 1 e 2 no estande da Fundação Joaquim Nabuco na XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco

Publicado: Sexta, 11 de Outubro de 2019, 16h09 | Última atualização em Sexta, 11 de Outubro de 2019, 16h09 | Acessos: 125

Obras de educação contextualizada para o semiárido serão distribuídas gratuitamente em escolas do semiárido brasileiro.

O sexto dia de programação no estande da Fundação Joaquim Nabuco na XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco contou com o relançamento dos volumes 1 e 2 do livro "Conhecendo o Semiárido", editado pela Editora Massangana da Fundaj. A elaboração do material foi realizada por uma iniciativa da Rede de Educação do Semiárido Brasileiro (Resab), que contou com a parceria também do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Fundação Joaquim Nabuco, que é membro da Rede.

Estiveram presentes no encontro, que ocorreu na noite desta quinta-feira (10), a coordenadora do Centro de Estudos em Dinâmicas Sociais e Territoriais (Cedist) da Fundaj, Edilene Pinto; a pesquisadora do Cedist, Janirza da Rocha Lima; o Professor do Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Edmerson dos Santos Reis, coordenador da Secretaria Executiva Resab; e as autoras dos livros, Vanderleia Andrade e Maísa Antunes. Na oportunidade, Edneuza Souza, também autora, não pode participar do lançamento.

"Para a gente é uma oportunidade ímpar de participar dessa reimpressão na Bienal Internacional do Livro de Pernambuco. Não podemos esquecer também da força que recebemos da Editora Massangana e da Fundação Joaquim Nabuco. O livro foi feito para contextualizar e dialogar com a educação básica", comemorou Edmerson dos Santos Reis.

A primeira edição do livro foi produzida entre os anos de 2002 a 2005 e, em 2010 e, após o conteúdo passar por teste em todos os municípios do Nordeste, teve a sua 2ª edição publicada. Somente em 2016, quando o Cedist iniciou as atividades do Programa de Ações para Educação no Semiárido, notou o esgotamento do material e solicitou a reimpressão. Depois de três anos de muito trabalho, a concretização do processo foi apresentada ao público nesta quinta-feira.

De acordo com a autora Vanderleia Andrade, o livro nasceu da ideia de criar novas experiências e possibilidades de acesso. "No ano de 2006, nasceram a obra e o movimento pela educação no semiárido. Dessa forma, conseguimos fortalecer o processo na política de acessibilidade. Para nós, está sendo muito importante vivenciar esse lançamento e essa nova edição", comentou.

Os livros são destinados a alunos do 4º e 5º ano e permitem contextualizar os conhecimentos diversos, de maneira interdisciplinar, sem negar acesso aos conhecimentos científicos universais. "A primeira impressão que os alunos têm ao pegar o livro é de identificação. A região onde moram é destacada na obra, como por exemplo, a casa, o rio, a praça. Todos esses lugares ganham espaço nas páginas dos livros e a valorização da região também", explicou Edilene Pinto.

As primeiras escolas a receberem o material são as do município de Pernambuco Afogados da Ingazeira, Pajeú pernambucano. Ainda este ano, o Cedist promoverá a formação contextualizada de professores da rede pública da região. Ao todo, serão 160 horas distribuídas em quatro módulos de estudo oferecidas para os educadores, onde os alunos receberão os livros. "O nosso desafio foi pensar uma maneira de chegar perto das crianças. O conteúdo existente já era repassado para agricultores da região, ou seja, transformamos esse conteúdo para que ele chegasse nas crianças de forma lúdica, criativa, alegre. Foi um trabalho que envolveu diversas fundações, escolas e universidades. Dessa forma, criou-se uma grande rede em torno desse livro, que também envolvia o semiárido como um todo", finalizou a autora do exemplar Maísa Antunes.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página