Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Fundaj participa do 6º seminário internacional de Museografia e Arquitetura de Museus
Início do conteúdo da página

Fundaj participa do 6º seminário internacional de Museografia e Arquitetura de Museus

Publicado: Segunda, 16 de Setembro de 2019, 18h06 | Última atualização em Terça, 17 de Setembro de 2019, 17h10 | Acessos: 144

O evento começou nesta segunda-feira (16) e segue até a próxima quarta-feira (18) no Museu da Cidade do Recife

Discutir os objetivos e resultados das atividades e ações da Pesquisa e da valorização do Patrimônio Cultural. Com esse objetivo o 6º Seminário Internacional de Museografia e Arquitetura de Museus teve início na manhã desta segunda-feira (16), no Museu da Cidade do Recife, bairro de São José. Entre os convidados para o evento, os pesquisadores e historiadores da Coordenação-Geral de Estudos da História Brasileira Rodrigo Melo Franco de Andrade (Cehibra), Rodrigo Cantarelli, Sylvia Couceiro e Rita de Cássia Araújo. A programação segue até esta quarta-feira (18).

“Apresentar o trabalho 'Alfenim e afelô: a Fundação Joaquim Nabuco e a construção de um patrimônio cultural sobre o açúcar no Nordeste.' neste seminário é uma oportunidade de marcar os 70 anos da Fundaj com a produção de conhecimento. A pesquisa, que está intimamente ligada com o açúcar e com o Nordeste, mostra o desenvolvimento da Fundaj ao longo dessas sete décadas”, explica a historiadora e pesquisadora Rita de Cássia Araújo.

Segundo ela, no encontro, será possível compreender a relação do campo com a cidade, a partir dos ideais de Gilberto Freyre sobre os estudos da vida do trabalhador do campo. “Mas não só isso, Freyre já pensava na pesquisa atrelada à documentação, e com o tempo fomos recebendo acervos tão ricos sobre a época. Alguns até extrapolavam a visão da pesquisa focada somente no campo, como idealizava Freyre”, completa.

O trecho “Alfenim e afelô" no título foi pensado em referência à memória afetiva da pesquisadora, que quando criança adorava o tipo de doce caseiro. “Este é um nome também ligado à produção do açúcar, pois com a industrialização, os doces deixaram de ser o preferido das crianças. Eles foram substituídos pelas gomas de mascar”, conclui Rita de Cássia.

O trabalho "Alfenim e afelô: a Fundação Joaquim Nabuco e a construção de um patrimônio cultural sobre o açúcar no Nordeste" será apresentado na manhã desta quarta-feira (18), das 8h30 às 10h. Em seguida, a mesa-redonda sobre Patrimônio e Educação contará com a participação do também pesquisador do Cehibra Rodrigo Cantarelli, das 10h30 às 12h. Nesta terça-feira (17), a Fundaj será representada no evento pela pesquisadora Sylvia Couceiro, que fará a mediação da mesa-redonda sobre Cultura e Documentação, das 16h30 às 18h.

Outras duas edições do Seminário de Museografia e Arquitetura de Museus
já estão programadas para o próximo mês, ambas no Rio de Janeiro. Para a edição que está acontecendo no Recife, os ingressos estão disponíveis através do site www.seminarioarquimuse.wixsite.com/2019 e os preços variam entre R$ 80 e R$ 250.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página