Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Fundaj marca sua maior participação na Fenearte
Início do conteúdo da página

Fundaj marca sua maior participação na Fenearte

Publicado: Segunda, 15 de Julho de 2019, 14h46 | Última atualização em Segunda, 15 de Julho de 2019, 14h52 | Acessos: 266

Foram 2438 visitas, 250 crianças participando das oficinas e 159 livros vendidos

A participação da Fundação Joaquim Nabuco na 20ª Fenearte foi a maior já registrada. Seguindo a programação comemorativa dos 70 anos da Fundaj e 40 anos do Museu do Homem do Nordeste, as atividades abraçaram diversos setores da instituição e, durante os 11 dias da feira, o estande recebeu exatamente 2438 visitas. As assinaturas englobam todos os estados do Nordeste, alguns do Sul e Sudeste, e visitantes internacionais representando Argentina, Espanha, Itália, Equador, Estados Unidos, Japão, França e Alemanha.

"A participação na 20ª edição da Fenearte trouxe um saldo positivo para toda instituição. O engajamento que tivemos reflete um estreitamento de laços que está sendo feito com o público e mostra que a Fundação Joaquim Nabuco está de braços abertos para toda população”, avaliou o presidente Antônio Campos.

As oficinas do Educativo do Museu registraram uma média de 10 crianças por oficina, somando cerca de 250 participantes ao longo da feira. “É um elo cada vez mais fortalecido com a população. Utilizar linguagens mais populares, como a linguagem infantil, é uma forma de aproximação do Museu para atingir o maior número de pessoas possível. Tudo isso mostra mostra o trabalho que a Fundaj presta”, declara o coordenador-geral do Muhne. De acordo com ele, tanto os números quanto o engajamento nas atividades atingiram os objetivos que o Muhne busca para aproximar a instituição do público. “Esse foi o maior benefício da programação.”

No Cinema da Fundação, o público fiel os novos desbravadores se juntaram para assistir aos curtas-metragens exibidos no estande. Segundo a coordenadora Ana Farache, a adesão foi grande e despertou o interesse da população sobre o cinema pernambucano. “Os filmes Cachaça, Maracatu, Maracatus e Clandestina Felicidade foram os que mais chamaram atenção. Apareceu muita gente curiosa pela Cinemateca, para saber como funciona e o que é o Movimento Super-8.” Os filmes infantis também fizeram sucesso entre a criançada. Segundo a coordenadora, um bom momento para o Cinema sair do próprio espaço e ir até o público.

Voltando a vender livros, a estante da Editora Massangana foi parada obrigatória para quem ama ler. Foram vendidos 159 livros a preços módicos e com descontos para alunos e professores, arrecadando um total de R$ 1.660,00 para a editora. "O evento foi muito gratificante para a Editora Massangana, principalmente por marcar nossa retomada ao mercado de livros. Temos certeza que espalhamos ainda mais o prazer pela leitura."

O retorno do público para a Biblioteca Blanche Knopf também superou as expectativas, segundo a coordenadora Nadja Tenório Pernambucano. A plataforma Pesquisa Escolar, que guarda informações culturais e antropológicas das regiões Norte e Nordeste, foi a grande estrela do setor. “Temos certeza que os acessos vão crescer bastante, por que foi um trabalho muito bom. Esperamos que, ao retomar as aulas, isso cresça ainda mais.”

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página