Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Imprensa > Projeto Alumiar de Sessões Acessíveis garantido
Início do conteúdo da página

Projeto Alumiar de Sessões Acessíveis garantido

Publicado: Sexta, 28 de Junho de 2019, 17h18 | Última atualização em Segunda, 01 de Julho de 2019, 10h44 | Acessos: 103

Anúncio foi feito pelo presidente da Fundaj, Antônio Campos, nesta sexta-feira, no Cinema da Fundação, campus Derby

Foi com cinema lotado que aconteceu mais uma sessão do Projeto Alumiar de Sessões Acessíveis na tarde desta sexta-feira no Cinema da Fundação, campus Derby da Fundação Joaquim Nabuco. O presidente da Fundaj, Antônio Campos abriu a sessão junto com a coordenadora do Cinema e da Cinemateca Pernambucana, Ana Farache, e anunciou a continuidade do projeto. “Vamos manter o Alumiar e o Índigo, projetos importantes de acessibilidade. Mas vamos além. Criaremos um núcleo de audiovisual sob o comando de Ana Farache, unindo Cinema, Cinemateca e Massangana Multimídia”, afirmou o presidente. Ele também comentou sobre sua relação com Ariano Suassuna, autor da peça Auto da Compadecida, que foi levada às telas dos cinemas pelo diretor João Falcão.


Lançado em outubro de 2017, o Projeto Alumiar de Sessões Acessíveis fez do Cinema da Fundação o primeiro do Brasil a tornar acessíveis e a exibir, quinzenalmente, filmes nacionais com três modalidades de acessibilidade comunicacional: Audiodescrição (AD) para pessoas cegas ou com baixa visão; Língua Brasileira de Sinais (Libras) para pessoas surdas; e Legenda para surdos e ensurdecidos (LSE). O Projeto Alumiar já tornou acessível 21 longas brasileiros, com audiodescrição, LSE e Libras. A entrada é gratuita. “É sempre uma alegria ter vocês aqui nessa sessão. Um momento criado com tanto amor pela equipe do cinema e da gestão da fundação Joaquim Nabuco”, destacou Ana Farache.

O Alumiar destina-se, também, a estudantes, profissionais e pesquisadores da área da acessibilidade, produtores de audiovisual, estudantes de artes visuais e o público em geral. Além de colaborar para a formação de um novo público a partir da inserção de pessoas com deficiências sensoriais no universo do cinema, a ação inclusiva criou um canal de diálogo com profissionais da acessibilidade, promovendo três encontros de cinema e acessibilidade, realizados durante a primeira fase do projeto.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página