Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Cerimônia oficializa doação do acervo de Nabuco à Fundaj

A parte do acervo de Joaquim Nabuco em posse da sua família foi repassado à Fundaj nesta terça-feira (24), como parte das comemorações pela entrada dos 70 anos de existência da instituição. São mais de 5,5 mil documentos que se juntam aos mais de 15 mil que fazem parte da Fundaj desde 1974. "A documentação vai receber o melhor abrigo possível aqui na Fundação, a nossa família fica muito feliz de ter a Fundaj como guardiã desse acervo. A Fundaj é uma ave rara, que nos enche de orgulho", afirmou Pedro Nabuco, cineasta e bisneto de Joaquim Nabuco.

Pedro relembrou um pouco das referências que teve ao longo da vida com o bisavô, com histórias contadas por seu avô José, filho caçula de Joaquim Nabuco. "Meu avô José dizia aos seus netos que atrelassem sua vida a uma estrela e fizessem dessa estrela o seu ideal. Acho que ele pensava em Joaquim Nabuco quando nos falava isso", destacou.


A presidente da Fundaj, Ivete Lacerda, afirmou que é uma satisfação para a Fundaj em, a partir desta data, ter a guarda sobre a parte restante do acervo de Nabuco. "Queria agradecer toda a família Nabuco. Joaquim Nabuco é o patrono da Casa e tinha um sentimento que reuniu todo o seu arquivo e, a partir de agora, nós seremos a casa desse arquivo. Responsabilidade e confiança que a família depositou na Fundaj", apontou Ivete.

Historiadora do Centro de Documentação e de Estudos da História Brasileira – Cehibra, Rita de Cássia Barbosa destacou peças do novo acervo, ressaltando a importância que a doação tem para a Fundaj. "Transformaremos um patrimônio privado em patrimônio público e patrimônio nacional. O arquivo de Joaquim Nabuco se incorporará aos demais documentos já catalogados e registrados", destacou. Para Rita, o trabalho é facilitado pela consciência de Joaquim Nabuco em, desde sempre, saber o que significa a memória e o registro histórico.

Reconhecimento
Os pesquisadores da Fundaj Hélio Moura e Clóvis Cavalcanti - representado por seu filho, Carlos André Cavalcanti - receberam nesta terça (24), o título de Pesquisador Emérito da Fundação Joaquim Nabuco. Emocionado, Hélio relembrou um pouco da sua história profissional na Fundaj, citando companheiros de trabalho que marcaram a sua trajetória. "Eu estou revivendo o último capítulo do meu sonho. Eu sempre fui um profissional que sonhou e consegui cumprir meu papel de sintetizar informações para entregar à sociedade. Esse diploma não pertence só a mim, eu deveria cortá-lo em pedacinhos minúsculos para dar às pessoas com quem trabalhei", afirmou.



Isaura de Albuquerque César e Manoel Soares de Souza, respectivamente servidora e servidor mais antigos da Fundação, também foram homenageados, com a outorga de reconhecimento pelos serviços prestados à Fundaj. Manoel foi representado pelo coordenador-geral de Planejamento e Gestão de Pessoas, Epitácio Oliveira.

Navegando em: :: Outras Notícias Cerimônia oficializa doação do acervo de Nabuco à Fundaj