Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Seminário apresenta urgência na política de educação ambiental

19/03/2018

Na semana que comemora o Dia Mundial da Água, o clima e a construção da política ambiental pernambucana são os desafios. Na manhã desta segunda-feira (19), a Fundaj sediou um debate acerca desse processo de construção com o Seminário da Região Metropolitana na Construção da Política de Educação Ambiental de Pernambuco​​​​​​​​, realizado na sede da instituição. O evento ocorreu na sala Calouste Gulbenkian e trouxe à tona temas como desenvolvimento de baterias menos poluentes, uso energia solar e criação de unidades de conservação.

O seminário mobiliza secretarias de diversos municípios pernambucanos para seguir as etapas da política de educação ambiental. O Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, Carlos André Cavalcanti, reconhece que conseguir recursos em época de crise não é fácil, mas é uma meta prioritária na agenda política. “É preciso que a gente enfrente esse assunto de maneira corajosa. Temos previsões muito preocupantes relacionadas a mudança climática e elevação do nível do mar”, expõe. Ele chama atenção ainda para o valor da consulta ao terceiro setor, agricultores e órgãos governamentais para dar robustez a política, bem como a participação pública.

“O fato de haver intervenções exageradas na natureza faz com que não nos consideremos parte dela. A convivência é muitas vezes hostil”, afirma a Chefe de Gabinete da Fundaj, Joana Cavalcanti. Em sua fala, reforçou que é preciso pensar de maneira interventiva, por que a situação ambiental deixou de ser necessidade e passou a ser uma urgência. A execução dessa política é responsabilidade da Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental, CIEA/PE, cuja representante, Genilse Gonçalves, reforçou: “como toda política pública, é preciso que tenha presença do público e que isso seja reproduzido.” Genilse apresentou o CIEA/PE como um órgão que mantém uma continuidade nos trabalhos, atribuindo a isso o sucesso do programa de educação ambiental.

O evento desta segunda-feira foi o quinto do Seminário Construindo a Política de Educação Ambiental de Pernambuco (PEAPE), realizado pelo Governo do Estado. A mesa de recebeu também a representante da Secretaria de Educação de Pernambuco, Ângela Gallo, o Gerente de Desenvolvimento da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, Paulo Teixeira, e a pesquisadora da Fundaj, Edilene Pinto.

O que todos os integrantes estavam de acordo é que a política precisa ser implementada agora e reproduzida no futuro por outras gerações para que tenha sucesso. “Uma revolução está muito próxima de acontecer. A educação ambiental tem um papel fundamental para que isso ocorra”, afirma Carlos André.

Navegando em: :: Outras Notícias Seminário apresenta urgência na política de educação ambiental