Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Fundaj entrega Relatório Final de pesquisa sobre conservação da caatinga ao Ministério do Meio Ambiente

Quinze mil fotos, quatro horas de vídeo e 17 mil quilômetros rodados por 14 unidades de conservação, durante três anos, foi o que consolidou a pesquisa “Mapeamento e Análise espectro-temporal das Unidades de Conservação de Proteção Integral da Administração Federal no Bioma Caatinga”, desenvolvida pelo pesquisador da Fundaj, Neison Freire, em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Na última quarta-feira, 24 de janeiro de 2018, o Relatório Final da pesquisa foi levado a Brasília e entregue oficialmente ao Ministério do Meio Ambiente e ao Instituto Chico Mendes da Biodiversidade. ICMBio.

A entrega foi realizada pela diretora de Pesquisas Sociais da Fundaj, Alexandrina Sobreira, ao Secretário Nacional de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, José Pedro Oliveira Costa, e Ana Elisa Bacellar Schittini, da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da sede do ICMBio.

Para Neison, esse passo é sinônimo de inovação por apresentar uma pesquisa envolvendo sustentabilidade e conservação do bioma Caatinga, enaltecendo a importância social das unidades de conservação. “A repercussão da pesquisa foi grande não só na imprensa nacional, em jornais do sul e sudeste, como na mídia internacional”, explica o pesquisador. Para ele, é essencial que o Ministério tenha o material em mãos, por ser responsável pelo cuidado das unidades de conservação, e o ICMBio também recebesse o benefício, visto que recebe material para dedicar a esses biomas.

O trabalho contou também com colaboração da Universidade Estadual da Paraíba e da Universidade Federal de Pernambuco. Nele, foi possível diagnosticar uma variedade de conflitos socioambientais entre as unidades e as populações que moram no entorno. Foram identificados diversos graus de degradação da biodiversidade e problemas de gestão com o pouco pessoal disponível para gerenciar as áreas.

O próximo passo no trabalho é o desenvolvimento do Atlas das Caatingas, apresentando um extrato do que foi encontrado na pesquisa através das imagens de satélite, imagens da flora e uma adaptação do texto, direcionando a leitura para estudantes e professores.

Navegando em: :: Outras Notícias Fundaj entrega Relatório Final de pesquisa sobre conservação da caatinga ao Ministério do Meio Ambiente