Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Uma Metodologia para a Preparação do Combate aos Efeitos da Seca




Lagoa dos Ossos, Fazenda Pau Leite, Cariris Velhos, Taperoá (PB) Uma das regiões mais secas do Nordeste brasileiro.


João Suassuna, Pesquisador da Fundação Joaquim Nabuco


Recife, julho de 1999


APRESENTAÇÃO

Os efeitos de uma seca na vida das populações rurais são semelhantes em praticamente todas as regiões do mundo onde ela ocorre. Todavia, a forma de enfrentá-los e combatê-los depende muito da sensibilidade de cada país para com o bem-estar dos seus cidadãos. No Semi-árido brasileiro, esse problema não tem merecido a atenção devida de seus governantes; não raro, medidas emergenciais (alistamento do povo em frentes de serviço no campo, distribuição de cestas básicas e de carros-pipa etc..) são postas em prática, servindo, apenas, para amenizar o sofrimento do povo até a chegada das chuvas providenciais, aspecto este que se tornou, nos dias atuais, um verdadeiro ciclo vicioso.

O presente texto trata da metodologia idealizada pelo norte-americano Dr. Donald A. Wilhite para a preparação do combate aos efeitos de uma seca nos Estados Unidos e a nossa pretensão, face ao alcance social do seu conteúdo, é a de divulgar a forma pela qual essa problemática é tratada pelos americanos e possibilitar que esse tipo de experiência possa ser adaptada às condições de semi-aridez do Nordeste brasileiro.

Arquivo contendo o documento completo em MS Word 97 (531kb).

:: Retornar para a página de artigos João Suassuna 

Navegando em: Pesquisa A DIPES