Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Bienal é aberta oficialmente com sucesso do estande Fundaj/MEC


Com o estande bastante movimentado pelos visitantes, a parceria Fundaj/MEC iniciou sua participação na XI Bienal do Livro de Pernambuco, que teve início nesta sexta (6), no pavilhão do Centro de Convenções, em Olinda. O espaço conta com um túnel interativo - com linha do tempo e livros digitais, uma plataforma para quiz, além de auditório aberto, onde ocorrem palestras e rodas de conversa a partir deste sábado (7). Os visitantes podem ainda aproveitar o espaço para recarregar o celular e acessar a internet por meio do wi-fi aberto.

O evento, que promete ser a maior bienal já realizada em Pernambuco, foi aberto oficialmente em cerimônia no Auditório Círculo das Ideias. Na ocasião, o presidente da Fundaj, representando a Fundação e o Ministério da Educação, Luiz Otávio Cavalcanti, destacou a importância do evento e o definiu como "uma carta ao futuro aos nossos filhos e netos". "Estamos 'condenados' a estudar e ler. Nossa única forma de afirmar o futuro e a esperança na civilização", destacou.


O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, presente à abertura, destacou que a economia criativa é relevante e promissora no Brasil, além de ser uma vocação do povo brasileiro. Ele ainda frisou a importância da bienal no cenário cultural e econômico. "Aqui temos uma plataforma de promoção do livro e da leitura, fundamentais para o desenvolvimento nacional. Além disso, se trata da terceira maior bienal do Brasil, só perdendo para o Rio e São Paulo, com impacto econômico de R$ 10 milhões", apontou. O prefeito de Olinda, sede da bienal, Professor Lupércio, afirmou estar honrado por receber o evento e destacou o papel da leitura na construção da sociedade. "Sabemos que devemos estimular as crianças para o estudo, para a leitura e a bienal também tem esse objetivo".

Roegério Robalinho, coordenador da bienal, apontou o evento como um caminho de contribuir para mudança da matriz econômica do estado, com o objetivo de avançar no mundo da economia do conhecimento. "A literatura é o espelho de uma época. Crianças e adolescentes são um potencial futuro para a construção do Brasil", destacou o escritor Sidney Nicéas, também presente à mesa, assim como o deputado federal Daniel Coelho, que destacou o papel da bienal na recepção de estudantes e professores, além de estimular a literatura e cultura para a população.

O evento segue até 15 de outubro e conta com cobertura do facebook e instagram da Fundação Joaquim Nabuco. A programação do auditório Fundaj/MEC pode ser vista aqui. A progrmação completa do evento pode ser conferida no site da bienal.

 

Navegando em: :: Outras Notícias Bienal é aberta oficialmente com sucesso do estande Fundaj/MEC