Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Casa onde Clarice Lispector morou será tombada, após pedido do presidente da Fundaj


A casa onde a escritora Clarice Lispector viveu, no Recife, teve a abertura de processo de tombamento publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (07). Dessa forma, o imóvel de número 387, localizado na Praça Maciel Pinheiro, na esquina com a Travessa do Veras, no bairro da Boa Vista, em breve, deve ter a sua preservação garantida por lei. O pedido para o tombamento foi realizado em 10 de julho de 2017 pelo presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Luiz Otávio Cavalcanti, por meio de ofício enviado ao Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN.

A abertura do processo foi destacada em matéria do jornalista Marcos Toledo, na Folha de Pernambuco. Nascida na Ucrânia em 1920, Clarice morou no sobrado de três andares localizado no centro da capital pernambucana entre 1925 e 1937, antes de se mudar com os familiares para o Rio de Janeiro, cidade na qual conquistou notoriedade como escritora.

O tombamento foi destacado pela presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) como algo de significado importante, não só pelo imóvel em si, mas também pela relevância do patrimônio imaterial da importância de Clarice para o Brasil e Pernambuco. O imóvel, além do grande valor histórico e patrimonial, está inserido em Zona Especial de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural (ZEPHC 08 - Boa Vista).

De acordo com o presidente da Fundaj, Luiz Otávio Cavalcanti, a recuperação da casa de Clarice já teve o projeto de recuperação passado para Rilani Algranti, representante da Santa Casa de Misericórdia e responsável pelo imóvel. "Fui inspirado pela ideia e tomei a iniciativa de colocá-la em prática. Ao tratar do assunto com Rilani, recebemos o projeto de recuperação e, logo em seguida, entregamos os documentos ao ministro da Cultura”, afirmou à Folha.

Navegando em: Home