Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

O Museu do Homem do Nordeste (Muhne), da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), recebe o Museu da Parteira

O universo que envolve os tradicionais saberes e práticas sobre o partejar protagoniza a próxima exposição do Muhne. Resistência, visibilidade e acolhimento são os pontos centrais da mostra de mesmo nome elaborada pelo Museu da Parteira. A abertura será no sábado (26), às 14h, na Sala Waldemar Valente. A exposição trará ao público o cotidiano das parteiras tradicionais de Pernambuco – sua casa, vizinhança, caminhos, animais, religiosidade, práticas e rostos – por meio de objetos cotidianos, áudios, documentos e fotografias de autoria de Eduardo Queiroga.

O Museu da Parteira propõe um olhar sobre saberes tradicionais, em um contexto pautado nas narrativas do parto cada vez mais padronizado e centrado na intervenção biomédica. Um Museu em processo, que se propõe enquanto centro de difusão e valorização de um ofício e enquanto espaço de trocas, diálogo e reflexão. A iniciativa integra um trabalho mais amplo de documentação, valorização e salvaguarda do ofício das parteiras, que teve início com a realização de dois inventários sobre saberes e práticas de parteiras tradicionais e indígenas (2008-2011) em seis municípios e três etnias indígenas de Pernambuco. As informações levantadas por essa pesquisa, coordenada pelo Instituto Nômades, culminou na solicitação ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) do reconhecimento destes saberes como Patrimônio Cultural do Brasil. A partir daí, proliferaram ideias e ações sobre este universo – como a sugestão das próprias parteiras sobre a construção do Museu.

“Acolhimento, Resistência e Visibilidade dizem respeito ao universo do partejar como percebido pelas parteiras tradicionais, pautado na dádiva, seja enquanto dom divino, seja enquanto algo que se dá e se recebe. Também diz respeito ao que lhes tem sido negado, a despeito de sua relevância, e ao que buscamos revelar sobre as parteiras tradicionais”, aponta a equipe do Museu da Parteira, responsável pela curadoria da mostra.

A ação, coordenada pelo Instituto Nômades, Grupo de Pesquisa Narrativas do Nascer/DAM/UFPE e Grupo Curumim, é um diálogo entre parteiras, pesquisadores e fotógrafos, e faz parte do Programa de Exposições Temporárias do muHNE, que busca difundir conhecimentos sobre a diversidade cultural da região e dar visibilidade a múltiplas fazedoras e fazedores de memória.

SERVIÇO

Museu da Parteira: Acolhimento, resistência, visibilidade
Museu do Homem do Nordeste | Sala Waldemar Valente
Avenida 17 de Agosto, 2187, Casa Forte
Recife-PE
Abertura: 26 de novembro, às 14h
Horário de funcionamento: Terça a sexta, das 8h30 às 17h | Sábado, domingo e feriados: das 14h às 18h
Mais informações: (81) 3073-6331 | 3073-6340
Entrada: gratuita


Contatos para imprensa:
Julia Morim,  representante do Instituto Nômades
81 98863-  1239

Elaine, representante do grupo Narrativas do Nascer do Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE
81 99987- 8223 

Paula Viana: Representante da Secretaria Executiva Colegiada do Grupo Curumim
81 99962-5763 

 

 

Navegando em: :: Outras Notícias O Museu do Homem do Nordeste (Muhne), da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), recebe o Museu da Parteira