Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Introdução

1. Introdução

Um bioma é caracterizado pelas inter-relações entre os fatores abióticos e os seres vivos de uma determinada região geográfica. Analisar biomas é entender a vegetação e suas características adaptativas aos fatores abióticos, ou seja, verificar sua significativa similaridade associada ao tempo evolutivo.  Tais características são determinantes na evolução da interação da flora e fauna, mas também, são condicionantes para a história econômica e social, revelando aspectos importantes da cultura e da forma como se desenvolveram o uso e a ocupação do solo pelas populações que habitam essas extensas regiões, em variados processos ao longo do tempo.

 Espécie de Bromeliacea (Encholirium spectabile Martius ex Schult) no Parque Nacional do Catimbau.
Foto: Neison Freire (2013)
Entretanto, devido à sua grande extensão, o Brasil apresenta em nível de paralelos e meridianos, uma territorialidade expressiva, possuindo seis biomas com distintas características geoambientais, a saber: Caatinga, Cerrado, Amazônia, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa. A formação dos biomas de florestas tropicais secas, como a Caatinga e o Cerradom teve grande expansão no território brasileiro desde o final da última Era Glacial, assim ocorreu com outros biomas semelhantes da América do Sul e da Zona Neotropical. 

Desde então, nos últimos 30.000 anos esta vegetação de matas secas apresentou uma dinâmica de expansões e retrações. Esta dinâmica geoambiental ocorre em função do clima, que se modifica com base nos períodos Interglaciais e Glaciais, proporcionando mudanças importantes na vegetação e na umidade que, consequentemente, interferem na composição florística e na fauna adaptada. Como comprovações acerca da história paleoclimática e paleobotânica, há registros de que toda a região Nordeste brasileira era tomada por uma imensa floresta tropical quente e úmida, então dominada por uma megaflora e uma megafauna, como se pode verificar nas escavações arqueológicas do Parque Nacional Serra da Capivara, no Sul do Estado do Piauí - uma das quatorze unidades aqui pesquisadas (PEREIRA et al, 2011).

Feições da vegetação rupestre da caatinga, localizada na Estação Ecológica do Seridó.
Foto: Neison Freire (2013)

 

Para baixar o capítulo completo da Joias da natureza: as 14 unidades de proteção integral da Caatinga, clique aqui.

 

 

 


Navegando em: Pesquisa CIEG