Fundação Joaquim Nabuco

  • Full Screen
  • Wide Screen
  • Narrow Screen
  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size

Curso de Formação de Gestores Culturais dos Estados do Nordeste

1 _Introdução e dados gerais do programa  

O curso de Formação de Gestores Culturais dos Estados do Nordeste está sendo oferecido pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) em parceria com a Fundação Joaquim Nabuco e o Ministério da Cultura.

O Corpo Docente é composto por professores da UFRPE, UFBA, UEMG e por pesquisadores da Fundaj.

O público-alvo deste curso são gestores públicos de cultura, acadêmicos, gestores da sociedade civil com atuação na área cultural - a exemplo de pontos de cultura e conselheiros dos Conselhos Estaduais de Cultura do Nordeste. 

O curso objetiva desenvolver o processo de formação de gestores culturais e conselheiros de cultura nos 9 estados da região nordeste do Brasil, de forma a consolidar a implantação e consolidação do Sistema Nacional de Cultura.

São objetivos específicos do curso:

a. Capacitar os participantes para a compreensão da cultura como direito em suas três dimensões simbólica, cidadã e econômica; bem como, os princípios da organização federativa, as políticas públicas de cultura; o papel dos diferentes entes federativos e setores da sociedade civil;

b. Capacitar os participantes para a compreensão da realidade sociocultural local e regional de forma a reconhecer singularidades e potencialidades para o desenvolvimento de políticas públicas;

c. Capacitar os participantes para a compreensão e valorização dos diferentes setores culturais e manifestações artísticas, de forma a reconhecer as articulações possíveis e necessárias para garantir o exercício do pluralismo cultural;

d. Capacitar os participantes para a compreensão e aplicação dos instrumentos de planejamento no campo da cultura, com especial ênfase na articulação e integração entre instituições públicas dos três entes federativos e a sociedade civil;

e. Capacitar os participantes para a compreensão e aplicação de instrumentos e ferramentas de gestão de políticas públicas;

f. Capacitar os participantes para a compreensão e aplicação dos princípios e aspectos jurídicos que dizem respeito ao campo cultural;

g. Capacitar os participantes para a compreensão e aplicação dos mecanismos e instrumentos de gestão compartilhada, democracia representativa e participativa.

O curso de Formação de Gestores Culturais dos Estados do Nordeste é desenvolvido em até 18 meses, totalizado uma carga horária 360 horas, composto por 08 (oito) disciplinas em regime de 45h/aula de atividades presenciais.

2_A formação promovida

As disciplinas que compõem a formação são ofertadas por 09 módulos, no horário de 08:00h às 12:00h e 14:00h às 18:00h, uma semana ao mês.

A primeira turma do curso iniciou em março de 2012 e terminará em janeiro de 2013.

Os conteúdos são disseminados por meio de aula expositiva; trabalho de campo; e oficinas.

Disciplinas que compõem o curso de Formação de Gestores Culturais dos Estados do Nordeste

Disciplinas

Carga Horária

I - Introdução às Políticas de Gestão Cultural

45h

II- Diversidade Cultural: reconhecimento, proteção e promoção

45h

III- Políticas Culturais

45h

IV- Políticas Culturais e Gestão Patrimonial

45h

V – Legislação da Cultura

45h

VI- Economia da cultura, economia criativa e financiamento da Cultura

45h

VII – Planejamento e orçamento na gestão pública

45h

VIII – Cenário Político da Cultura no Brasil

45h

3- Seleção

Somente poderão participar do processo seletivo:

I - Os portadores de diploma ou de certificados de conclusão de cursos de graduação e tecnólogo reconhecidos pelo MEC nas áreas indicadas no projeto de curso.  

II - Os portadores de diploma de cursos de graduação realizados no estrangeiro, desde que o diploma tenha sido revalidado por instituição nacional.

III – Os alunos estrangeiros, que atendam um dos requisitos acima, e que possuam o visto de permanência no país que o habilite a participar de curso de pós-graduação Lato Sensu. 

4_Monografia

Os Trabalhos de Conclusão de Curso serão individuais, apresentados para avaliação no seminário de encerramento, terão seus resumos publicados e os melhores transformados em livro coletivo. Os TCCs serão aprovados no seminário pelos professores examinadores, mediante a nota mínima de 7,0 pontos.

As modalidades aceitas são as seguintes:

4.1- MODALIDADE ENSAIO:

Trabalho de caráter científico, desenvolvido a partir de pesquisa bibliográfica e/ou empírica, que resulte em uma exposição lógica, reflexiva e conclusiva. O texto deverá ter no mínimo de 35 laudas (fonte 12, espaço 1,5), sendo que a bibliografia, ilustrações e anexos, não serão computados dentro desse limite. Deve ter caráter monográfico, ou seja, a abordagem de um tema específico a partir de uma perspectiva delimitada. O caráter ensaístico é aqui entendido como, o equilíbrio entre a abordagem científica e a defesa de perspectivas de seu autor. Os ensaios deverão abordar temáticas relacionadas à questão das políticas públicas de cultura, a diversidade cultural e a gestão da cultura e poderão ser de:

a. CARÁTER TEÓRICO/CONCEITUAL: na medida em que se desenvolve como o estudo de conceitos e problemas teóricos, a partir de um recorte definido e abordagem adequada;

b. CARÁTER ANALÍTICO: quando se tratar de um estudo de caso ou análise comparativa, de uma ou mais realidades empíricas específicas, através de perspectivas teóricas e metodológicas bem definidas;

c. CARÁTER DOCUMENTAL: refere-se a estudos que resultam na análise de informações disponíveis em acervos, coleções, instituições, resultando em obra de referência e crítica.


4.2 – MODALIDADE PROJETO DE INTERVENÇÃO:

Trabalho de natureza empírica planejado, executado e avaliado em seus resultados piloto, a partir de perspectivas teóricas e metodológicas claras, relacionadas às temáticas políticas públicas de cultura, a diversidade cultural e a gestão da cultura. Nesta modalidade, o trabalho deverá manter estreita relação com o diagnóstico da realidade. A definição de ações, o desenvolvimento do trabalho e seus resultados deverão relacionar-se de forma clara com os conteúdos propostos ao longo de todo o curso.

EXPECTATIVA DE RESULTADOS: texto contendo um memorial/relatório descritivo e analítico, fartamente documentado de no mínimo 30 laudas (fonte 12, espaço 1,5). A bibliografia, ilustrações e anexos, deverão exceder a este mínimo.

4.3 - MODALIDADE PRODUÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO: trabalho de natureza técnico ou comunicacional que resulte na produção de um material inédito documental ou para uso em processos de formação e ou de gestão cultural. Tais trabalhos poderão ser desenvolvidos através das diversas linguagens e técnicas audio-visuais, a partir da construção, proposição e desenvolvimento de uma proposta teórica/conceitual e experimental, coerente e decorrente das diversas reflexões proporcionadas pelo curso relacionadas ao diagnóstico realizado e aos temas das políticas públicas de cultura, a diversidade cultural e a gestão da cultura.

EXPECTATIVA DE PRODUTO FINAL: produto final acompanhado de texto contendo um memorial descritivo e analítico de no mínimo 20 laudas (fonte 12, espaço 1,5). A Bibliografia, ilustrações e anexos poderão ocupar até 5 laudas, ou exceder às 20 definidas.

5_ Informações Adicionais

O curso contará com a modalidade de 70 horas/aulas à distância, com aulas de campo, oficinas, seminários, atividades essas que serão vivenciadas nas diversas disciplinas e a orientação monográfica.

6_ Maiores Informações

Fundação Joaquim Nabuco / Derby

Rua Henrique Dias, 609, Derby - Recife-PE - CEP: 50010-100

Fone: (81) 3073.6708 - Secretaria do Curso

gestaocultural@fundaj.gov.br 

Navegando em: Formação A Difor